Governo vai rever taxa sobre as rampas

  • ECO
  • 15 Dezembro 2016

O Executivo está a ponderar rever da fórmula de cálculo do imposto aplicado aos acessos às estradas nacionais. A IP começou a cobrar a taxa que pode chegar a milhares de euros no caso das empresas.

A taxa sobre as rampas de acesso às estradas nacionais já não é nova, mas a revisão feita no ano passado fez disparar os valores exigidos aos contribuintes. Está, agora, a ser revista, com o Executivo a ponderar alterações ao método de cálculo para baixar os encargos suportados pelos particulares, mas principalmente pelas empresas.

O Governo encontra-se a avaliar a revisão da Portaria 357/2015, tendo por base o acompanhamento do impacto global da sua aplicação, efetuado pela Infraestruturas de Portugal (IP), bem como os contributos entretanto recebidos“, diz o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d’Oliveira Martins, ao JdN (acesso pago).

A revisão vai no sentido de alteração do método de cálculo das taxas para que estas não sejam tão avultadas — a IP prevê encaixar 20 milhões ao ano. O jornal nota que o licenciamento das rampas de acesso exige uma taxa de 500 euros, sendo que depois é preciso pagar 200 euros pela utilização dessa mesma rampa no caso dos prédios rústicos ou de habitação.

No caso das empresas, a taxa ganha ainda maior expressão: chega aos 30 cêntimos por cada metro quadrado quando estão em causa prédios industriais, comerciais e de serviços, valor que é pago todos os anos. Há casos em que o valor anual a pagar ultrapassa algumas dezenas de milhares de euros, pelo facto de a taxa incidir não sobre a área do acesso à estrada nacional, mas sobre a área do edifício.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo vai rever taxa sobre as rampas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião