Professor Marcelo dá notas. Saída da crise só tem 11. E o resto?

A projeção internacional do país merece 19 valores, mas, na saída da crise, há custos sociais que se prolongam e que puxam a média para baixo.

Marcelo Rebelo de Sousa voltou a dar notas. No programa “Exame”, da TSF, o antigo professor, agora enquanto Presidente da República, aceitou o desafio da rádio para avaliar o país. O balanço? Portugal passa, mas há cadeiras que precisam de mais estudo.

A nota mais alta vai para a projeção internacional de Portugal, com 19 valores. “Como está o país de 0 a 20? Diria que, nesta altura, depois de um ano que se temia muito complicado, nalgumas das suas facetas, como a projeção internacional, tem 19, com a eleição de António Guterres e com o prestígio de Portugal no mundo”, disse o Presidente.

Em matéria de cumprimento dos compromissos europeus, Marcelo atribui 15 valores. “Vamos cumprindo para além das expectativas”, sublinha.

Já quanto à saída da crise, o desempenho é pior, “porque há custos sociais que duram para além da crise e, portanto, estaremos no suficiente”, entre o 11 e o 13.

Por fim, domínios como a cultura, a juventude e a perspetiva de futuro, ou “tudo aquilo que oferece novos horizontes”, merece um 16 ou 17.

A avaliação final?

“Temos uma grande assimetria entre a situação social, que está no suficiente, o cumprimento do rigor financeiro, que está no bom, embora um bom com problemas, e a projeção internacional e as perspetivas do que Portugal pode vir a ser, em que estamos no bom mais”, conclui o Presidente.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Professor Marcelo dá notas. Saída da crise só tem 11. E o resto?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião