Juros da casa continuam a cair. Prestações não

  • Ana Luísa Alves
  • 21 Dezembro 2016

O Instituto Nacional de Estatística revelou esta quarta-feira os dados relativos à taxa de juro implícita no crédito à habitação. Em novembro a taxa atingiu um novo mínimo histórico.

Com as Euribor a manterem a tendência de queda, as taxas de juro implícitas no crédito à habitação voltaram a recuar, atingindo um novo mínimo histórico. Mas, diz o Instituto Nacional de Estatística (INE), o valor das prestações manteve-se.

As taxas de juros implícitas no crédito à habitação mantiveram a tendência negativa em novembro, fixando-se nos 1,032%, o que representa uma descida de 0,006 pontos percentuais face aos 1,038% registados em outubro.

Quanto ao destino de financiamento, na aquisição de habitação, o mais importante no crédito à habitação, a taxa de juro implícita no conjunto de contratos foi 1,047%, o que representa uma descida de 0,005 pontos percentuais.

Segundo o comunicado do INE, apesar de se verificar uma nova queda da taxa, a prestação média vencida para a globalidade dos contratos foi 237 euros, pelo terceiro mês consecutivo. Isto porque as quedas são agora bem menos expressivas tendo em conta o nível reduzido dos indexantes.

Esta tendência traduz o desempenho das Euribor, que servem de indexante para a generalidade dos créditos à habitação em Portugal, estar a ser pressionado pelos estímulos económicos adotados pelo Banco Central Europeu para a Zona Euro.

Relativamente aos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita manteve-se inalterada nos 1,960% em novembro. Neste caso, além das Euribor, também a evolução dos “spreads” dos bancos está a condicionar a evolução da taxa.

Os bancos chegaram a exigir margens de 3% para a compra de casa própria com recurso a crédito. Atualmente, a generalidade dos bancos tem margens abaixo dos 2%, sendo que há já grandes bancos com “spreads” de 1,5%. O BCP foi o último a mexer na taxa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Juros da casa continuam a cair. Prestações não

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião