Petróleo nos 100 dólares? Já há apostas

O petróleo continua a valorizar. Está acima dos 55 dólares, mas já começa a haver apostas nos três dígitos. São apostas com um elevado risco, mas se acontecer vão gerar retornos muito elevados.

Ganhar o Euromilhões não é fácil — ainda que os portugueses tenham historicamente uma elevada taxa de sucesso no concurso –, mas prever o futuro dos mercados também não. Ainda assim, muitos fazem as suas apostas. E estão a aumentar as apostas na valorização do petróleo, depois do acordo para o corte da produção. Já há várias para os 100 dólares.

O contrato de futuros de 100 dólares para dezembro de 2018, ou seja, um contrato que permite comprar um barril da matéria-prima a esse valor dentro de dois anos, foi o mais transacionado esta semana no mercado. Não quer dizer que esse valor seja efetivamente alcançado, mas é revelador do otimismo dos investidores numa escalada dos preços da matéria-prima.

O barril está a cotar em torno dos 55 dólares — 54,31 dólares em Londres e 52,36 dólares em Nova Iorque –, tendo superado a fasquia dos 50 dólares assim que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) chegou a acordo para reduzir a oferta da matéria-prima. E ao cartel juntaram-se outros países produtores a nível mundial, puxando ainda mais pelos preços.

Para chegar aos 100 dólares, o petróleo tem praticamente de duplicar de valor. Não é previsível que tal aconteça, mas com a perspetiva de um reequilíbrio entre a oferta e a procura, antecipando-se que o crescimento económico mundial aumente o apetite pelo “ouro negro”, aumenta o número de investidores que tentam a “sorte grande”.

“Não é claramente o consenso do mercado que os preços voltem a esses patamares [acima dos 100 dólares] em breve, pelo que essas apostas traduzem, provavelmente, uma estratégia contra eventos geopolíticos imprevisíveis”, diz Ole Hansen à Bloomberg. Além disso, tendo em conta as cotações atuais “é um bilhete de lotaria relativamente barato“, acrescenta o responsável pela estratégia de matérias-primas do Saxo Bank.

Os contratos de futuros para o petróleo a 100 dólares em 2018 custam pouco mais de um milhão de dólares, de acordo com os dados compilados pela Bloomberg. É muito dinheiro? Depende. Se efetivamente o barril estiver nesse patamar durante os próximos dois anos, esse mesmo contrato pode valer várias vezes o valor pago atualmente. Por ser um Euromilhões.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Petróleo nos 100 dólares? Já há apostas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião