Ministros da Economia já têm o seu museu

  • Lusa
  • 22 Dezembro 2016

Manuel Caldeira Cabral realçou a qualidade da indústria portuguesa presente no Espaço 560, que conta a história dos vários responsáveis pela Economia e Indústria nacional das últimas décadas.

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, destacou a “alta qualidade” de vários setores da indústria portuguesa, do têxtil à aeronáutica, no âmbito da inauguração do Espaço 560, em Lisboa.

“O Espaço 560 é simbólico por duas coisas: mostra a qualidade que tem a nossa produção industrial e a valorização que nós queremos dar aos produtos portugueses e isso também se faz mostrando o que Portugal faz hoje”, disse à Lusa o governante.

Caldeira Cabral apontou para a inovação existente em vários setores, como o têxtil, automóvel, aeronáutica, os produtos tradicionais e agroalimentares, todos representados no Espaço 560, localizado na rua da Horta Seca, no edifício onde se situa o Ministério da Economia, cujo lançamento contou com muitos antigos ministros da Economia e da Indústria portugueses.

cropped-ministros_economia
O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral (4D), acompanhado por ex-ministros da Economia, durante a inauguração da galeria de fotografias dos antigos ministros da Economia no Salão Nobre do Ministério da Economia.Nuno Fox/Lusa 21 dezembro 2016

“Portugal tem hoje produtos da mais alta qualidade, produtos tecnologicamente avançados e são alguns desses produtos que temos aqui em mostra neste espaço. O que queremos é que quem entre no Ministério da Economia possa ver o que a indústria portuguesa hoje está a fazer”, assinalou o responsável.

E acrescentou: “Mas vamos usar este espaço também para ter eventos e trazer cá empresas que apresentem os seus projetos, os seus produtos, que expliquem qual foi o seu modelo de negócio e trajeto, quais foram as dificuldades e os fatores que levaram ao seu sucesso”.

"Portugal tem hoje produtos da mais alta qualidade, produtos tecnologicamente avançados e são alguns desses produtos que temos aqui em mostra neste espaço. O que queremos é que quem entre no Ministério da Economia possa ver o que a indústria portuguesa hoje está a fazer.”

Manuel Caldeira Cabral

Ministro da Economia

Segundo o governante, o objetivo é que o Ministério da Economia “seja um espaço aberto às empresas e às ideias, e que seja um espaço em que as empresas se revejam como um espaço e um ministério que promove o que de melhor há em Portugal”.

Caldeira Cabral, que falava à margem do evento, vincou que o Governo tem feito “muito esse esforço”, não só no estrangeiro, mas também junto dos portugueses.

“Lá fora, mas também cá dentro, em Portugal, queremos dizer que temos produtos de alta qualidade, sofisticados e muito competitivos. Só assim podemos atrair os jovens a pensar ter carreira na indústria e para que cada vez mais os portugueses saibam que quando compram um produto português estão a comprar um produto que é tão bom como os melhores do mundo”, rematou o ministro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ministros da Economia já têm o seu museu

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião