Solução para os lesados do BES não se aplica ao Banif

Mário Centeno, em entrevista ao DN e à TSF, descarta que os chamados lesados do Banif possam vir a ter um tratamento igual ao que tiveram os do papel comercial do BES.

Na entrevista publicada hoje no Diário de Notícia e à TSF, Mário Centeno foi questionado sobre a possibilidade de os lesados do Banif poderem vir a ter um tratamento idêntico ao que tiverem os chamados lesados do Novo Banco.

A resposta de Mário Centeno não dá muitas esperanças a esses investidores: “Temos de olhar para as questões, que aliás se colocaram também agora em Itália no tratamento do Monte dei Paschi, analisando as condições específicas em que se coloca o aparecimento de lesados. O caso dos chamados lesados do BES tem umas características muito específicas que têm de ser consideradas nesse contexto. Extrapolá-lo para outras circunstâncias, não considero que seja adequado. É necessário olhar para as condições específicas em que a qualificação de lesado…”

O caso dos chamados lesados do BES tem umas características muito específicas que têm de ser consideradas nesse contexto. Extrapolá-lo para outras circunstâncias, não considero que seja adequado.

Mário Centeno

O ministro garante assim que a solução do BES é uma solução para aplicar apenas aos lesados do BES: “E a um grupo muito bem definido de investidores”, precisa.

Numa entrevista que deu há uma semana ao jornal Público e à Rádio Renascença, o assessor do Governo Lacerda Machado explicava na sua perspetiva a diferença entre os lesados do Banif e do BES: “Há uma diferença importante entre os lesados do GES/BES e os do Banif. É que, relativamente aos do Banif, a CMVM nunca expressou o entendimento de que tenha havido missselling, isto é, que tenha havido uma comercialização que tenha envolvido erro, má apreciação por parte dos que subscreveram os produtos financeiros. E isso tem uma importância determinante.”

Mas Lacerda Machado não descartou que o Santander, que veio a comprar o Banif, pudesse vir a apresentar algum tipo de proposta a estes clientes.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Solução para os lesados do BES não se aplica ao Banif

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião