Portugueses doaram mais de 16,6 milhões através do IRS e IVA

  • ECO e Lusa
  • 28 Janeiro 2017

Doações dos portugueses através dos impostos aumentaram 8,3% no ano passado, revelam números da Autoridade Tributária conhecidos hoje.

Os portugueses doaram em 2016 mais de 16,6 milhões de euros através do IRS e IVA, um valor que subiu 1,3 milhões em relação ao ano anterior, segundo dados hoje divulgados pelas Finanças. Ou seja, de 2015 para 2016, o montante das doações por parte dos contribuintes portugueses cresceu 8,5%.

De acordo com os valores recolhidos pela Autoridade Tributária a que a Lusa teve acesso, a verba doada pelos portugueses através do IRS de 2015, entregue em 2016, beneficiou 2.944 entidades. Este número corresponde a um crescimento de que também subiu 13,2% face às 2.601 entidades que receberam estas doações no ano anterior.

No ano passado, foram mais de 558 mil os agregados familiares que fizeram esta consignação através do IRS ou do IVA (e-fatura).

 

No total, foram doados 16.638.980 euros pelos portugueses no ano passado. Desse total, 14.435.299 foram consignados através do IRS e os restantes 2.203.680 euros foram-no pelo IVA. Em 2015, tinham sido consignados 15.311.873 euros: 14.178.483 euros através do IRS e 1.133.389 pela via do IVA.

Os dados facultados pelo Ministério das Finanças à agência Lusa indicam que nos impostos relativos a 2015 foram 558.153 os agregados familiares que consignaram através do IRS e IVA verbas a 2.944 entidades.

nos impostos referentes a 2014 (cujas declarações são entregues em 2015), foram 511.319 as famílias que fizeram estas consignações por via do IRS e do IVA, beneficiando 2.601 entidades.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugueses doaram mais de 16,6 milhões através do IRS e IVA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião