Fundação Repsol apoia startups com 11 milhões de euros

  • Lusa
  • 14 Fevereiro 2017

A Fundação Repsol associou-se ao INESC TEC e vai apoiar 'startups' na área da energia e da mobilidade. O valor disponibilizado pela Fundação Repsol é o maior de sempre disponbilizado pela instituição.

A Fundação Repsol vai disponibilizar 11 milhões de euros para apoiar ‘startups’ na área da energia e da mobilidade, projeto que conta com o apoio do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC).

Este valor corresponde ao “maior volume financeiro de sempre” disponibilizado pela Fundação Repsol e vai apoiar cinco a dez empresas, tendo em vista a sua internacionalização, disse hoje à Lusa o engenheiro do INESC TEC Augustin Olivier.

Segundo um comunicado sobre a parceria entre as duas entidades, as propostas selecionadas vão receber um apoio económico a fundo perdido de até 144 mil euros por ano, período que pode alargar-se a dois anos, para além de formação especializada, aconselhamento de uma equipa de mentores e acesso a possíveis investidores.

Este fundo apoia empresas na área da indústria energética e química, da geração, da distribuição e armazenamento de eletricidade e da mobilidade, que estejam em fase de projeto já demonstrado num contexto controlado ou num ambiente real e que ainda não tenham chegado à fase do planeamento comercial.

Para além disso, auxilia ideias em fase de desenvolvimento, que estão num nível tecnológico ou de modelo de negócio mais precoce, com um valor mensal de dois mil euros, durante um ano.

Apesar de esta ser a 6.ª fase de candidaturas ao Fundo de Empreendedores da fundação espanhola, é a primeira vez que abre em Portugal.

As candidaturas para o concurso podem ser feitas até 31 de março, sendo os resultados publicados em julho.

O protocolo entre a Fundação Repsol e o INESC TEC vai ser assinado na próxima segunda-feira, das 14:00 às 16:00, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fundação Repsol apoia startups com 11 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião