Frasquilho: “Não tenho conhecimento” de investimentos da AICEP através de offshores

  • ECO
  • 26 Fevereiro 2017

O presidente da AICEP e antigo deputado do PSD reconhece que o caso das offshores "não devia ter acontecido", mas não está pronto para fazer acusações.

Miguel Frasquilho condena o caso das transferências de 10 mil milhões de euros para offshores, que já levou ao afastamento de Paulo Núncio, mas recusa fazer juízos de valor. E garante que, na agência de apoio ao comércio externo, não tem conhecimento de investimentos feitos através de offshores.

Em entrevista ao Jornal de Negócios e à Antena 1, que será publicada na íntegra na segunda-feira, o presidente da AICEP e antigo deputado do PSD reconhece, sobre o caso das offshores, que “não devia ter acontecido esse facto“, que “obviamente” condena.

Contudo, não está pronto para acusações. “Tanto quanto sei, responsáveis quer políticos, quer da administração tributária irão ser chamados ao Parlamento para falar sobre o caso. Não me compete fazer quaisquer juízos sobre essa matéria”, disse na entrevista.

O que precisa de ser investigado, ressalva, são os “rendimentos que podem advir dessa colocação de capital em determinadas praças financeiras e que tipo de tributação é que podia ter sido obtida”. Seja como for, acredita, este caso não terá “certamente” um “impacto enorme na atividade da AICEP ou na atração de investimento ou nas nossas exportações”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Frasquilho: “Não tenho conhecimento” de investimentos da AICEP através de offshores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião