Reino Unido apresenta solução para imigrantes europeus nos próximos meses

Todas as opções estão em cima da mesa. Entre elas, contam-se vistos de trabalho, vistos plurianuais ou a eliminação do direito dos trabalhadores imigrantes de acederem à Segurança Social britânica.

O Reino Unido vai revelar, nos próximos meses, o plano para lidar com os imigrantes oriundos da União Europeia. A informação é adiantada pela ministra dos Assuntos Internos britânica, Amber Rudd, que já havia prometido atuar em relação ao “medo” da população europeia que vive no Reino Unido, que aumentou após o referendo que ditou o Brexit.

Para já, diz Rudd, o Ministério está a “olhar para todas as diferentes opções” para lidar com os imigrantes europeus após a saída do Reino Unido da União Europeia. Entre estas opções, contam-se, por exemplo, vistos de trabalho, um sistema de vistos plurianuais, ou a eliminação do direito dos trabalhadores imigrantes de acederem à Segurança Social britânica.

“Vamos trabalhar com os empregadores para garantir que o sistema de imigração que definirmos lhes permite continuar a crescer”, disse a governante, citada pela Bloomberg.

Um dos primeiros passos na definição deste sistema será uma consulta pública, que Amber Rudd espera que avance já este verão. Neste momento, só uma coisa é certa: “A liberdade de circulação como a conhecemos vai acabar”, garante Rudd. De resto, “todas as alternativas” estão em cima da mesa.

As restrições aos imigrantes europeus não geram, contudo, consenso. Esta segunda-feira, a Câmara dos Lordes vai voltar a discutir o diploma que permite a Theresa May avançar com as negociações para a saída da União Europeia, e deverão ser propostas novas emendas ao diploma. Este assunto será, precisamente, um dos que poderá ser alterado.

Segundo a Bloomberg, a oposição vai tentar convencer os indecisos do Partido Conservador a aprovar uma emenda que garanta direitos de residência aos cidadãos europeus que já viviam no Reino Unido antes do Brexit.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Reino Unido apresenta solução para imigrantes europeus nos próximos meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião