Offshores: Maria Luís Albuquerque disponível para esclarecer Parlamento

  • ECO e Lusa
  • 27 Fevereiro 2017

Depois do ataque do Bloco de Esquerda, a ex-ministra das Finanças diz estar disponível para prestar esclarecimentos “em primeiro lugar” ao Parlamento no caso das 'offshores'.

A ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque disse hoje estar disponível para prestar esclarecimentos “em primeiro lugar” ao Parlamento, a propósito da polémica à volta das transferências para paraísos fiscais.

Questionada pela agência Lusa, perante pedidos de explicações dos partidos de esquerda, a vice-presidente do PSD respondeu que está e estará “sempre disponível para prestar esclarecimentos” sobre a sua atuação “enquanto membro do Governo”.

“O Parlamento merece-me todo o respeito, mesmo se não o tem merecido por parte de todos os responsáveis, pelo que os esclarecimentos que me venham a ser solicitados serão prestados em primeiro lugar aos deputados, como de resto sempre fiz”, refere, numa nota enviada à Lusa.

Hoje, a coordenadora do BE Catarina Martins disse estranhar o “silêncio ensurdecedor” da anterior ministra das Finanças sobre este caso, depois de o PS e o PCP também terem acusado o anterior Executivo PSD/CDS-PP de ter responsabilidades políticas.

Transferências de dinheiro para paraísos fiscais concretizadas entre 2011 e 2014, durante a governação PSD/CDS-PP, sem controlo estatístico por parte da Autoridade Tributária e Aduaneira, como a lei obriga, levaram os partidos com assento parlamentar a solicitar audições urgentes do atual e do anterior secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade e Paulo Núncio, que acontecerão na quarta-feira.

O antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais Paulo Núncio veio no sábado “publicamente reconhecer a responsabilidade política pela decisão da não publicação das estatísticas sobre as transferências realizadas para território ‘offshore’” entre 2011 e 2014, mas salientou que o mais importante agora é saber se o erário público foi prejudicado com esta situação.

No entanto, PS, PCP e BE já consideraram esta declaração insuficiente, considerando que são necessárias mais explicações. Maria Luís Albuquerque foi ministra das Finanças do Governo PSD/CDS entre 2013 e 2015, sucedendo no cargo a Vítor Gaspar.

No seu espaço semanal de comentário, Marques Mendes defendeu que tanto Maria Luís Albuquerque como o ex-ministro das Finanças, Vítor Gaspar deveriam prestar esclarecimentos ao Parlamento. Uma ideia, aliás, também defendida pela deputada do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Offshores: Maria Luís Albuquerque disponível para esclarecer Parlamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião