EDP e Galp prestam serviços de assistência inúteis e “abusivos”

  • ECO
  • 28 Fevereiro 2017

EDP e Galp comercializam serviços de assistência, que incluem a reparação de eletrodomésticos, cujos contratos apresentam limitações e abusos que podem ser prejudiciais para os consumidores.

Os serviços de assistência técnica que a EDP e Galp comercializam e que permitem a reparação de eletrodomésticos apresentam contratos com várias exclusões, como equipamentos fora da garantia ou com algum tempo de utilização, limitando em grande medida o benefício para os consumidores. Além disso, estes contratos vêm com cláusulas que podem ser prejudiciais para os clientes, como a renovação automática ou da alteração unilateral de condições, incluindo o preço.

A análise surge esta terça-feira no Público (acesso condicionado), que cita a associação de defesa do consumidor Deco e vários juristas para concluir que os serviços prestados pelas duas maiores comercializadoras de eletricidade e gás em Portugal estão entre o inútil e o “abusivo”.

Em causa estão várias ofertas da EDP e Galp. Nomeadamente o EDP funciona, cujo “serviço mínimo” tem um custo anual de 94,8 euros (7,90 euros por mês) e o “mais completo” representa um encargo de 262,8 euros por ano (21,90 euros/mês); e o Comfort Home (46,80 euros/ano) e Galp Comfort Care, de assistência no gás (70,80 euros/ano).

Relata o Público que estes serviços são prestados por empresas externas e são habitualmente comercializados juntamente com o fornecimento de eletricidade e gás.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP e Galp prestam serviços de assistência inúteis e “abusivos”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião