DNA Cascais cria 292 novas ‘startups’ em 10 anos

  • Lusa
  • 4 Março 2017

A agências DNA Cascais apoiou nos seus dez anos de existência a criação de 292 novas 'startups' e captou 53 milhões de euros de financiamento.

A agência DNA CASCAIS apoiou nos seus dez anos de existência a criação de 292 novas empresas de crescimento rápido (‘startups’) e captou 53 milhões de euros em financiamentos, segundo dados da empresa municipal.

As 292 ‘startups’ apoiadas ao longo da década permitiram criar mais de 1.500 novos postos de trabalho, sendo que se trata de “um número significativo” para o município de Cascais e representa também “a dinâmica” do ecossistema empreendedor.

Em 2016, a agência de empreendedorismo DNA CASCAIS apoiou a criação de 27 novas ‘startups’, dos mais diversos setores de atividade económica, as quais representam um investimento global de dois milhões de euros e a criação de 86 novos postos de trabalho.

“Estes números representaram uma evolução face ao ano anterior, quando foram apoiadas 21 novas ‘startups’, segundo dados facultados à Lusa pela DNA CASCAIS, que apoia a criação de empresas inseridas nos mais diferentes setores de atividade, posicionando-se como “uma incubadora generalista”.

Em 2016, “não existiu um setor que se tivesse destacado em particular” e os projetos apoiados foram em áreas como turismo, saúde e bem-estar, indústrias criativas, tecnologia, comércio e serviços e empreendedorismo social.

Questionada pela agência Lusa sobre a mortalidade das ‘startups’ ao longo dos dez anos de atividade, a DNA CASCAIS respondeu que a taxa é de 25%, isto é, morre uma em cada quatro das novas ‘startups’ apoiadas durante o período de incubação (três anos).

No entanto, a agência esclareceu que “este número se deve ao trabalho desenvolvido junto dos empreendedores, nomeadamente ao nível de um bom trabalho na mitigação de riscos relacionados com o negócio”.

A DNA CASCAIS afirma que os casos de sucesso são muitos, dando como exemplos a Morphis Composites, que faz a produção de quadros de bicicletas para os triatletas portugueses; a Medbone, que desenvolve próteses com ossos sintéticos para 30 mil pacientes em todo o mundo; a Optimal que produz monolugares para a Fórmula 1; e a D-Orbit, que desenvolve sistemas de propulsão espacial para remoção de satélites inativos.

As perspetivas para este ano da DNA CASCAIS passam por dar continuidade ao que foi definido no seu plano estratégico e que consiste “numa DNA mais diversificada e interventiva”, com mais protagonismo no ecossistema empreendedor e mais internacional.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

DNA Cascais cria 292 novas ‘startups’ em 10 anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião