PSI passa a 19. Entram Ibersol e Novabase

A saída do BPI deixou o índice com apenas 17 cotadas. Na revisão anual do índice, a Euronext Lisboa decidiu incluir não uma, mas duas empresas. O PSI passa, assim, a PSI-19.

Ibersol e Novabase. São estas as duas novas cotadas do índice de referência da bolsa nacional. Vão entrar na montra do mercado de capitais português no âmbito da revisão anual que se realiza após a exclusão do BPI, que foi alvo de OPA do CaixaBank. Têm regresso agendado para a sessão de 20 de março, levando o PSI-20 a passar de 17 para 19 títulos.

São ambos regressos ao índice principal. A Novabase tinha sido despromovida em 2013, já a Ibersol tinha estado pela última vez no PSI-20 em 2003, regressando agora ao mercado de referência da bolsa portuguesa numa altura em que o índice principal da Euronext Lisboa estava apenas com 17 cotadas.

O BPI foi excluído do PSI-20 no seguimento da OPA do CaixaBank que deixou o banco ainda liderado por Fernando Ulrich com uma reduzida liquidez. Perante essa decisão, a gestora da bolsa nacional tinha obrigatoriamente de selecionar uma nova cotada — as regras do PSI-20 exigem que o índice tenha um mínimo de 18 títulos.

Em vez de uma empresa, a bolsa decidiu promover duas, apesar de nenhuma delas cumprir na totalidade os requisitos mínimos, nomeadamente o valor de mercado considerando os títulos efetivamente dispersos de mais de 100 milhões de euros. Para trás, nesta corrida ao PSI-20, ficou a Sonae Indústria, que aparecia bem colocada para a promoção.

A decisão de incluir estas duas empresas resulta do Comité do PSI-20. Perante o não cumprimento da totalidade dos critérios de admissão ao índice principal por parte das cotadas que estão em bolsa, este órgão da gestora do mercado de capitais português tem a palavra final. Neste caso, deu aval à subida da Ibersol e da Novabase.

As duas cotadas vão passar a militar no PSI-20 dentro de duas semanas. A decisão foi conhecida esta segunda-feira, 6 de março, mas só a 20 de março a sessão bolsista em Lisboa passará a contar com estas duas empresas no desempenho do PSI-20. O índice apresenta, este ano, uma queda de quase 1%, contra a valorização de mais de 3% do Stoxx 600.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PSI passa a 19. Entram Ibersol e Novabase

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião