Velar aquece a concorrência nos SUV de luxo

Vem ocupar o vazio entre o Range Rover Evoque e o Range Rover Sport. E promete ser uma dor de cabeça para os concorrentes, tanto pelo estilo como pelas inovações que trás.

Depois de um teaser, a Land Rover levantou o véu do seu novo modelo. O Velar, nome que herda de um dos protótipos da marca, vem ocupar o vazio entre o Range Rover Evoque e o Range Rover Sport, afirmando-se como um SUV com um design luxuoso, mas sem descurar a potência, tanto dos motores a gasóleo como dos sobrealimentados a gasolina.

“Quase meio século depois, o espírito inovador continua vivo com a incorporação de um quarto membro na família Range Rover”, diz a marca. E como já vem sendo hábito nos restantes modelos, a fabricante promete “níveis de luxo, requinte e capacidade fora de estrada nunca vistos no segmento dos SUV médios”.

Esteticamente, o Velar assume-se como um grande coupé, demonstrando um espírito bem mais desportivo do que os seus irmãos. Um design distintivo com o qual a marca pretende fazer frente à forte concorrência num segmento onde “militam” os GLC, da Mercedes, o BMW X4 e o Porsche Macan, mas também o F-Pace, da Jaguar, e, em breve, o Stelvio, da Alfa Romeo.

“Inclui características que irão definir a tendência, como o vanguardista sistema de informação e entretenimento Touch Pro Duo, os faróis elegantes em Matriz de LED laser, os puxadores das portas articulados à face ou os detalhes polidos em cor de cobre”, nota a marca. Mas para conquistar mercado, é preciso também ter motores. E há seis neste Velar que chega em setembro, com preços a partir de 68.212 euros.

A versão mais eficiente, segundo a marca, é o Ingenium diesel 2.0 de 180 cv, sendo o mais potente da gama o 3.0 V6 Supercharged a gasolina de 380 cv. Permite ao Velar acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 5,7 segundos e atingir uma velocidade máxima eletronicamente limitada a 250 km/h.

No mercado nacional, o foco deverá recair sobre os motores a gasóleo. Estarão disponíveis versões de 180 (com um preço de entrada de 71.033 euros) e 240 cv. “Dentro de alguns meses estará disponível uma versão ainda mais potente de 300 cv”, o diesel V6 conjuga emissões de apenas 167 g/km “com um binário extraordinário de 700 Nm que permite uma aceleração sem esforço e melhora a capacidade fora de estrada”, diz.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Velar aquece a concorrência nos SUV de luxo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião