Petróleo mantém pressão sobre Wall Street

  • ECO
  • 9 Março 2017

O arranque da sessão não trouxe melhores perspectivas para as bolsas norte-americanas face ao fecho de ontem. O petróleo continua a desvalorizar, colocando pressão em Wall Street.

O petróleo foi o protagonista do de dia de ontem, com a desvalorização do barril a pesar nas bolsas norte-americanas. E continua a sê-lo, perante o acentuar da tendência negativa dos preços da matéria-prima. Uma queda que está a pesar no setor energético, ditando um arranque no vermelho em Wall Street.

O Nasdaq foi, dos três principais, o que abriu com uma queda mais forte, de 0,06% para os 5.833,99 pontos. O industrial Dow Jones também abriu de forma negativa, descendo 0,04% para os 20.846,77 pontos, e o S&P 500 acompanha os outros dois, com um decréscimo muito mais ligeiro, de 0,01% para os 2.362,86 pontos.

A condicionar a negociação nos mercados norte-americanos está a queda do petróleo. O West Texas Intermediate, em Nova Iorque, está a desvalorizar 0,82% para os 49, 87 dólares por barril, baixando dos 50 dólares pela primeira vez em 2017. O Brent, negociado em Londres, segue a cair 0,77% para os 52,70 dólares por barril

Além do petróleo, os investidores também estão com atenção aos números relativos ao nível de emprego nos EUA, que vão ser divulgados amanhã. Com os níveis do desemprego a chegarem a mínimos muito promissores, e os pedidos de subsídios de desemprego a descerem cada vez mais, os investidores norte-americanos ainda devem esperar pelos dados oficiais, mas a subida dos juros parece uma realidade que parece cada vez mais provável de chegar já neste mês.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Petróleo mantém pressão sobre Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião