António Tomás Correia: “Montepio não precisa de mais aumentos de capital”

  • Rita Atalaia
  • 14 Março 2017

O presidente da dona do banco Montepio, a Associação Mutualista Montepio Geral, defende que não serão precisos mais aumentos de capital.

António Tomás Correia, presidente da Associação Mutualista Montepio GeralPaula Nunes/ECO

António Tomás Correia defende que a dona do banco Montepio não precisará de mais aumentos de capital. As declarações são feitas depois de o Público ter avançado que o auditor do banco, a KPMG, alertou para um buraco nas contas da Associação de 107 milhões de euros. O presidente da Associação Mutualista Montepio Geral esclarece que o setor bancário e segurador enfrentaram muitas dificuldades, mas que têm ajudado a associação mutualista a cumprir as suas responsabilidades sociais.

“Não consideramos que haja necessidade de haver novos aumentos de capital por parte da Associação Mutualista.” É assim que António Tomás Correia, presidente da Associação Mutualista Montepio Geral, esclarece a polémica em torno do Montepio que acendeu esta manhã depois de o jornal Público ter dito que a do banco Montepio, a Associação Mutualista Montepio Geral, fechou 2015 com um buraco nas contas de 107 milhões de euros. O alerta foi dado pelo auditor do banco, a KPMG, num documento anexo às contas consolidadas da associação, que vão ser discutidas esta terça-feira.

"Não consideramos que haja necessidade de haver novos aumentos de capital por parte da Associação Mutualista.”

António Tomás Correia

Presidente da Associação Mutualista do Montepio Geral

“O setor bancário e segurador enfrentaram muitas dificuldades devido ao mau funcionamento da economia e das dificuldades das empresas e famílias”, nota o presidente da Associação Mutualista Montepio Geral. Mas, esclarece, que não se pode olhar para um grupo desta natureza de uma forma instantânea. Por isso, olhando para a “história completa, esta mostra que a atividade bancária e seguradora têm ajudado a associação mutualista a cumprir as suas responsabilidades sociais”.

As contas da Associação são importantes para o próprio Montepio Geral porque a Associação é o acionista único do banco e este poderá precisar de reforçar os rácios de capital. É isso que decorre de uma carta enviada pelo Banco de Portugal à instituição financeira liderada por José Félix Morgado, no início deste ano, e noticiada no sábado pelo Expresso. Num comunicado interno, enviado ao colaboradores, Félix Morgado reforçou que esta é uma versão preliminar da decisão do supervisor, mas nada garante que as exigências de capital vertidas no documento venham a ser revistas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

António Tomás Correia: “Montepio não precisa de mais aumentos de capital”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião