PERES dá poupança de 20 milhões à EDP

  • ECO
  • 20 Março 2017

A elétrica portuguesa aumentou os lucros em 2016, também por ter conseguido fazer uma poupança de 20 milhões que teria de pagar ao Fisco. Em causa está o programa criado pelo atual Governo.

A elétrica detida pelos chineses da China Three Gorges poupou 19,4 milhões de euros graças ao Programa Especial de Redução do Endividamento ao Estado (PERES). A empresa já tinha anunciado que o tinha feito, mas o valor da operação foi divulgado (acesso pago) esta segunda-feira pelo Diário de Notícias. Este programa permitiu à EDP poupar este valor em juros compensatórios e de mora por dívidas fiscais, dado que o Estado perdoou esse valor às empresas ou famílias que aderissem. A empresa apresentou uma subida de 5% dos lucros para 961 milhões de euros em 2016.

“Paguei mais este ano, significativamente mais, mais de 100 milhões de euros do que o normal em Portugal, ao abrigo de algumas medidas do Governo, nomeadamente o PERES, em que as empresas pagavam esses montantes à cabeça, podendo ser revertidos mais tarde, caso a via judicial assim decida”, tinha referido no início do mês o administrador financeiro do grupo, Nuno Alves. Isto significa ainda que a EDP não desistiu dos contenciosos que mantém com o Estado.

“Fomos ao PERES, porque achámos que não perdemos a capacidade de litigar esses dossiês. Se ganharmos, o Estado tem que nos ressarcir mais os juros corridos”, acrescentou Nuno Alves. Ou seja, o valor pago pode ainda ser devolvido caso a EDP vença em tribunal. A empresa aderiu ainda ao programa de reavaliação de ativos, outro mecanismo lançado pelo atual Governo. Os resultados da empresa permitiram que aumentasse o dividendo para 0,19 euros.

Segundo o mesmo relatório de contas relativo ao ano de 2016, o presidente da EDP recebeu uma remuneração fixa de 983 mil euros, acrescida de uma remuneração variável de 395,9 mil euros, relativa ao desempenho de 2015. Adicionalmente, António Mexia arrecadou um prémio de 656,2 mil euros relativo ao desempenho de 2013, perfazendo um total de mais de dois milhões.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PERES dá poupança de 20 milhões à EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião