BioMimetx recebe 1,4 milhões de fundos europeus

  • Juliana Nogueira Santos
  • 21 Março 2017

A startup portuguesa que está a desenvolver um aditivo verde para tintas marinhas que impede o crescimento organismos nos cascos das embarcações recebeu 1,4 milhões através de um fundo comunitário.

A BioMimetx, uma startup portuguesa que dedica ao desenvolvimento de soluções sustentáveis para travar o crescimento de organismos nos cascos das embarcações, obteve 1,4 milhões de euros através do Horizonte 2020, um fundo gerido pela Comissão Europeia.

Este prémio vai ser utilizado para desenvolver o BMX-11, um aditivo para tintas marinhas que impede o crescimento de incrustações nas embarcações ou em estrutura submersas, que, ao contrário dos utilizados atualmente, não é tóxico, não tem impacto ambiental nem restrições regulamentares.

Os próximos passos da empresa serão finalizar a formulação do aditivo, concluir o registo do produto nos Estados Unidos e começar o registo na Europa. Para isto serão também utilizados os 1,6 milhões que a empresa conseguiu angariar numa ronda de financiamento liderada pela Caixa Capital.

Patrick Freire, co-fundador da BioMimetx, afirmou que “para além do selo de excelência e reconhecimento da Comissão Europeia”, esta verba permite-lhes “acelerar o desenvolvimento do BMX-11 e oferecer ao mercado um agente antivegetativo verde que seja eficiente”.

Este programa comunitário, que tem como principais destinatários as pequenas e médias empresas europeias que mostrem um alto nível de inovação e um igual potencial de crescimento, premiou mais três startups portuguesas entre milhares de empresas europeias.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BioMimetx recebe 1,4 milhões de fundos europeus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião