Acionista chinês da TAP negoceia compra de arranha-céus em Nova Iorque

  • Lusa
  • 22 Março 2017

A torre, Manhattan's 245 Park Avenue, tem 158.000 metros quadrados e entre os seus inquilinos consta o fundo de investimentos JPMorgan Chase & Co.

O grupo chinês HNA, acionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway e da companhia brasileira Azul, está a negociar a compra de um arranha-céus em Nova Iorque por 2,21 mil milhões de dólares.

O valor, avançado pela imprensa estatal chinesa, seria um dos mais elevados de sempre pago por um edifício em Manhattan, o coração financeiro dos Estados Unidos.

A torre, Manhattan’s 245 Park Avenue, tem 158.000 metros quadrados e entre os seus inquilinos consta o fundo de investimentos JPMorgan Chase & Co.

Com sede na ilha de Hainan, no extremo sul da China, a HNA opera nos setores de aviação, indústria, turismo, logística e financeiro.

O grupo detém indiretamente cerca de 20% do capital da TAP, através de uma participação de 13% na Azul (companhia do brasileiro David Neelman que integra a Atlantic Gateway) e de 7% na Atlantic Gateway.

No ano passado, a firma comprou a distribuidora de tecnologia norte-americana Ingram Micro, por 6.000 milhões de dólares, e acordou pagar 1,3 mil milhões de euros pela Gategroup, a segunda maior empresa de “catering” de aviões do mundo.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Acionista chinês da TAP negoceia compra de arranha-céus em Nova Iorque

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião