C-Elysée renovado… por fora e por dentro

A Citröen atualizou o C-Elysée para o aproximar dos outros modelos da marca. Há alterações estéticas no exterior, mas a fabricante francesa também traz novidades no interior.

O C-Elysée mantém os argumentos que lhe têm permitido ser bem-sucedido no mercado nacional: conforto e espaço. Mas nesta segunda geração, a Citröen decidiu tornar a berlina ainda mais apelativa. A solução passou por uma renovação estética exterior que colocou este modelo mais próximos da restante gama, mas também pela introdução de mais tecnologia no interior.

Esta nova versão distingue-se por uma nova frente, inteiramente redesenhada, “simultaneamente mais estatutária e que transmite uma impressão de maior robustez, que integra uma nova grelha e chevrons cromados que vêm fundir-se nas luzes, novos grupos óticos, novo para-choques e uma nova assinatura luminosa expressiva com luzes diurnas de LED“.

Se há mudanças na parte dianteira, também existem na traseira com uma nova “assinatura luminosa traseira com faróis de efeito 3D, que ajudam a reforçar a sensação de largura do modelo e aumentam a sua elegância”, refere a marca. Para ajudar ao conjunto, a Citröen apresenta também dois novos conjuntos de jantes de 16 polegadas.

Interior mais tecnológico

Houve mudanças no exterior, mas também no interior. “O habitáculo foi renovado tendo o conforto e a conectividade como grandes prioridades”, diz a marca. O destaque vai para o sistema de áudio disponível de série, associado a um ecrã tátil de sete polegadas, que agrupa as funções do telemóvel e multimédia. E que permite fazer Mirror Screen e Mirror Link.

Como opção, o C-Elysée pode trazer o novo sistema de navegação 3D, tátil e conectado em tempo real, com reconhecimento vocal e vista da cartografia em perspetiva. E se o sistema de ajuda ao estacionamento traseiro é de série, como opcional existe ainda a câmara de visão traseira.

Dois motores, duas versões

A nova geração da berlina francesa conta com dois motores, um a gasolina e outro a gasóleo. Existe o 1.2 PureTech de 82 cv com consumos médios de 4,8 l/100 km, já o diesel é o 1.6 BlueHDi de 100 cv que tem consumos mais comedidos. A marca anuncia consumos médios de 3,8 l/100 km.

No caso do 1.2, o preço começa nos 17.400 euros para a versão Feel e chega aos 18.150 euros da Shine. Já o diesel, que deverá ser aquele que conquistará mais clientes no mercado nacional, começa nos 20.850 euros. A versão com maior nível de equipamento já está disponível por um preço de 21.600 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

C-Elysée renovado… por fora e por dentro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião