CGD: Saiba quais os balcões que vão encerrar

  • Rita Atalaia e Margarida Peixoto
  • 30 Março 2017

Já se conhece a lista dos 61 balcões que a CGD vai encerrar em todo o país. Já há um concelho onde há apenas uma caixa automática. Será que o seu é o próximo? Conheça a lista dos balcões a fechar.

Já se sabe quais são as agências que a Caixa Geral de Depósitos (CGD) vai encerrar. Ao todo, a lista que foi enviada para a comissão parlamentar de inquérito à gestão do banco estatal tem 61 balcões, no Norte, Centro, Grande Lisboa, Sul do país e ilhas, menos nove do que o plano inicial para este ano. E, de acordo com a pesquisa do ECO, nenhum concelho, além de Porto Moniz, na Madeira, fica sem balcão.

 

Se mora em São Lázaro, Souselas, Brandoa ou na Quinta das Conchas, o balcão da CGD da sua zona vai encerrar. Estes são apenas três dos 61 que vão fechar nesta vaga de encerramento de balcões, de acordo com a lista que chegou aos deputados da comissão parlamentar de inquérito à gestão do banco público, conforme avançado pelo Observador e confirmado pelo ECO.

Os encerramentos fazem parte do plano de recapitalização do banco liderado por Paulo Macedo. Mas têm criado polémica junto dos partidos, da esquerda à direita. Críticas que levaram a administração da Caixa a definir uma “linha vermelha”: manter um balcão em todos os concelhos onde o banco já se encontra, uma presença que pode no entanto não ser na sede do município.

Apesar de o número de encerramento de balcões ainda ser elevado, o banco cumpre, nestes cortes, com aquilo que foi pedido pelo Presidente da República: haverá pelo menos um balcão em cada concelho do país, de acordo com a pesquisa realizada pelo ECO. Em Porto Moniz, na Madeira, contudo, não há um balcão com gestores de conta… há apenas uma caixa automática. Aumenta, no entanto, a percentagem de concelhos em que há apenas uma dependência da CGD.

Conheça a lista completa dos balcões que vão fechar este ano:

A Norte:

  1. Gualtar
  2. São Lázaro
  3. Campo-Valongo
  4. Ponte da Pedra
  5. Pinhais da Foz
  6. Termas S. Vicente
  7. Santa Quitéria
  8. Fontainhas
  9. Senhora da Agonia
  10. Merelim
  11. Lordelo
  12. Pedras Rubras
  13. Oliveira do Douro
  14. Pádua Correia
  15. Portas Fronhas

No centro do país:

  1. São Bernardo
  2. Cucujães
  3. Atouguia da Baleia
  4. Silvares
  5. Febres
  6. Caranguejeira
  7. Pousos
  8. Aida
  9. Souselas
  10. Branca
  11. Almeida
  12. Universidade de Coimbra (Pólo II)
  13. ISPV

Na Direção de Particulares e Negócios de Lisboa:

  1. Quinta das Conchas
  2. ISEG
  3. Cascais Av.
  4. Colares
  5. ISEL
  6. Universidade Nova
  7. Palácio da Justiça
  8. Avenida Fontes Pereira de Melo
  9. Torres Vedras Sul
  10. Sobreiro Curvo
  11. Abrigada
  12. Merceana
  13. Brandoa
  14. Pólo da Ajuda
  15. Tagus Park
  16. Caneças
  17. Colinas do Cruzeiro
  18. 5 de Outubro (já está encerrada)

A Sul e ilhas:

  1. Angra – Avenidas
  2. Fajã de Cima
  3. Sobreda da Caparica
  4. Cacilhas
  5. Fórum Almada
  6. Quinta do Amparo
  7. Ameijeira
  8. Lavradio
  9. Fórum Madeira
  10. Alexandre Herculano — Portalegre
  11. Pedro de Santarém
  12. Canha
  13. Monte Gordo
  14. Gambelas
  15. Santa Margarida

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CGD: Saiba quais os balcões que vão encerrar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião