TSU: Governo reduz para metade apoios à contratação

  • ECO
  • 6 Abril 2017

Contratar jovens ou desempregados há mais de 12 meses dará direito a uma redução de 50% na TSU. Regime em vigor permite isenção total, opção que ficará limitada a desempregados de muito longa duração.

O Conselho de Ministros aprovou hoje a redução das contribuições, em 50%, para empresas que contratem, sem termo, jovens à procura de primeiro emprego e desempregados de longa duração.

No caso de jovens, a dispensa vigora por cinco anos, sendo reduzida para três anos quando estão em causa desempregados há mais de 12 meses, indica uma nota publicada no site do Governo.

Atualmente, o regime em vigor permite que as empresas fiquem totalmente isentas de contribuições por um período de três anos em ambos os casos. E não se restringe à contratação sem termo.

No novo regime, só a contratação de desempregados de muito longa duração com mais de 45 anos dará o direito a isenção de descontos, que também poderá durar três anos.

“O Governo estabelece que podem beneficiar deste incentivo jovens à procura do primeiro emprego, com idade até aos 30 anos, inclusive, que nunca tenham prestado a atividade ao abrigo de contrato de trabalho sem termo”, indica a nota publicada no portal do Governo, acrescentando: “também podem beneficiar desempregados de longa duração inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional há 12 meses ou mais, e desempregados de muito longa duração, com 45 anos de idade ou mais, inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional há pelo menos 25 meses“.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

TSU: Governo reduz para metade apoios à contratação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião