Têxtil portuguesa quer comprar cadeia de retalho londrina

O grupo têxtil Calvelex apresentou uma proposta para comprar a cadeia de retalho Jaeger que fatura 83 milhões de euros. César Araújo, líder da empresa, diz ao ECO que "é uma boa oportunidade".

Jovens passam em frente a uma loja Jaeger na Regent Street em Londres. Fotógrafo: Jason Alden/Bloomberg

O grupo têxtil Calvelex, liderado por César Araújo, está em negociações para adquirir o retalhista londrino Jaeger.

Em declarações ao ECO, César Araújo adianta que “o grupo Jaeger, que fatura mais de 83 milhões de euros, entrou em colapso“. “Depois de uma análise atenta sobre o tema, percebemos que há ali uma oportunidade de negócio e fizemos uma proposta de compra”, acrescentou.

Depois de uma análise atenta sobre o tema, percebemos que há ali uma oportunidade de negócio e fizemos uma proposta de compra.

César Araújo

Líder da Calvelex

O grupo Jaeger, com mais de 158 anos, é detentor de lojas de roupa de senhora e de homem e emprega 900 pessoas. A marca é promovida pela realeza britânica e pelo ator Pierce Brosnan.

Araújo diz não conhecer “as razões que levaram ao colapso da Jaeger”, mas também não considera isso relevante. “O que sei é que é uma boa oportunidade de negócio para o meu grupo e para Portugal”, frisou.

Sem adiantar quais os planos que tem para o grupo londrino, Araújo admite que esteve esta semana em Londres a apresentar a proposta de compra, não adiantando, porém, se o objetivo é adquirir a totalidade do capital da Jaeger ou apenas uma parte. E acrescentou: “Já falei com uma nova equipa de gestão para ficar a liderar a empresa”.

A imprensa britânica avança que a equipa de gestão seria liderada por Harold Tillman, que terá sido dono da empresa entre 2003 e 2012.

César Araújo, que é credor da Jaeger, adiantou ainda que “o Governo britânico deve rever a lei de insolvência de modo a que esta seja mais ética e equitativa para todos os credores”. “Aliás, esta é também uma oportunidade para me bater pela alteração da lei”, disse. “É muito difícil para os fornecedores fazer negócios com os retalhistas britânicos porque quando estes entram em insolvência corremos o risco de perder todo o dinheiro”, acrescentou.

O Governo britânico deve rever a lei de insolvência de modo a que esta seja mais ética e equitativa para todos os credores. É muito difícil para os fornecedores fazer negócios com os retalhistas britânicos porque quando estes entram em insolvência corremos o risco de perder todo o dinheiro.

César Araújo

Líder da Calvelex

O grupo Calvelex, de cariz familiar, tem mais de 30 anos e dedica-se à confeção de vestuário, e era há mais de 20 anos fornecedor da cadeia inglesa.

Segundo a imprensa do Reino Unido, a Jaeger terá anunciado no início da semana que fecharia 20 lojas o que colocaria em causa 200 postos de trabalho. A imprensa refere ainda que a Better Capital, acionista da Jaeger terá vendido no mês passado a dívida a um comprador mistério por 8 milhões de euros. A Better Capital terá registado perdas com a retalhista superiores a 73 milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Têxtil portuguesa quer comprar cadeia de retalho londrina

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião