Brexit: “Vinte e Sete” adotaram orientações para as negociações com Londres

  • Lusa
  • 29 Abril 2017

Líderes europeus não precisaram de mais de um quarto de hora para adotar as diretrizes da União para as negociações com o Reino Unido.

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia a 27 adotaram hoje, em Bruxelas, as grandes linhas orientadoras para as negociações com Londres com vista à concretização da saída do Reino Unido do bloco europeu.

No primeiro Conselho Europeu formalmente com formato a 27, os líderes europeus não precisaram de mais de um quarto de hora para adotar as diretrizes da União para as negociações com o Reino Unido, como constatou o presidente da Comissão Europeia.

“Unidade em ação: a UE27 adotou as orientações sobre o artigo 50.º em menos de 15 minutos”, escreveu Jean-Claude Juncker na sua conta na rede social twitter.

Também o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciou na mesma rede social a celeridade com que os chefes de Estado e de Governo adotaram “unanimemente” os grandes princípios orientadores para as discussões com Londres que decorrerão ao longo dos próximos dois anos, afirmando que está pronto um “mandato político firme e justo para as negociações do Brexit”.

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia a 27, entre os quais o primeiro-ministro António Costa, estão hoje reunidos, em Bruxelas, numa cimeira destinada à adoção das orientações para as negociações com Londres, com a presença do negociador-chefe da UE, Michel Barnier, a quem será posteriormente dado um mandato para conduzir as negociações em representação dos “Vinte e Sete”.

O mandato para Barnier deverá estar pronto até 22 de maio, mas as negociações só deverão arrancar depois das eleições no Reino Unido marcadas para 08 de junho.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brexit: “Vinte e Sete” adotaram orientações para as negociações com Londres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião