Lisboa corrige de máximos. EDP trava Galp

A bolsa nacional arrancou em queda, mas inverteu a tendência. Está novamente a desvalorizar, num dia em que a EDP e a Galp assumem o protagonismo no PSI-20.

Depois da queda ligeira no arranque da sessão, a bolsa nacional valorizou, negociando em máximos de um ano. Mas voltou às quedas, com os títulos do setor energético a destacarem-se: a EDP recua enquanto a Galp está a valorizar. O PSI-20 contraria, assim, a tendência positiva registada nas restantes praças do Velho Continente.

O PSI-20 chegou a cair 0,04% nos primeiros instantes desta sessão, mas rapidamente passou para “terreno” positivo para voltar a cair novamente. Numa sessão em que as restantes bolsas sobem cerca de 0,1%, segue a desvalorizar 0,12% para 5.138,91 pontos, corrigindo assim dos máximos de março de 2016 que tem atingido nos últimos dias.

A EDP está a ser a principal responsável pela tendência da praça nacional. A elétrica revelou que os seus lucros recuaram 18% para 215 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, uma queda que está a levar as ações a cederem quase 1% para 3,10 euros. A EDP Renováveis recua 0,74% para os 6,94 euros, ainda acima do valor da OPA.

Além da elétrica liderada por António Mexia, também os CTT estão a pressionar o índice, enquanto a Galp Energia está a travar a queda da bolsa nacional com uma valorização de mais de 1%. Está a cotar nos 14,10 euros.

Nota negativa também para a Navigator. A empresa liderada por Diogo da Silveira segue a cair 0,88% para 3,95 euros depois de ter revelado, antes da abertura da bolsa, que os seus resultados líquidos encolheram no primeiro trimestre. A explicação para a quebra de 20% nos lucros está no aumento da carga fiscal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa corrige de máximos. EDP trava Galp

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião