BCE pode discutir alívio dos estímulos já na próxima reunião

A próxima reunião de política monetária do BCE decorre a 8 de junho. Nessa altura, o banco central já terá novas previsões da evolução da inflação e da economia.

O Banco Central Europeu (BCE) poderá começar a discutir o alívio dos estímulos à economia da zona euro já na próxima reunião de política monetária, que terá lugar a 8 de junho. A indicação é dada por executivos do banco central, numa nota a que a Bloomberg teve acesso.

O BCE tem mantido, até agora, uma posição de cautela em relação à retirada dos estímulos. Numa recente audição no Parlamento holandês, Mario Draghi reconheceu que “a recuperação económica passou de frágil e desigual para firme e generalizada”, mas manteve que é demasiado cedo para concluir se a política monetária seguida até agora foi bem sucedida.

Dias antes, Vítor Constâncio também já tinha sinalizado uma possível mudança de política monetária só será decidida no outono.

Agora, uma nota que resultou da reunião do BCE de 27 de abril vem mostrar uma posição diferente por parte de alguns responsáveis do banco central. Se a recuperação económica se mantiver, estes executivos consideram “ajustar a presente formulação” já na próxima reunião, cita a Bloomberg.

Nessa reunião, o BCE já terá novas previsões para a evolução da inflação e da economia, o que coloca o conselho de governadores “numa posição mais vantajosa para tomar uma decisão”, refere ainda a nota.

Atualmente, o programa de estímulos do BCE implica a compra de 60 mil milhões de dívida por mês, num plano que está previsto até ao final deste ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCE pode discutir alívio dos estímulos já na próxima reunião

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião