Novo Banco continua a vender ativos. Agora foi a Nanium

Depois de alienar 75% do Novo Banco Ásia, o banco liderado por António Ramalho continua a desinvestir em ativos não estratégicos. Vendeu a Nanium. Prevê um impacto neutral a positivo nos rácios.

O Novo Banco concretizou mais uma venda. Depois de concluir a alienação de 75% do Novo Banco Ásia, revela agora que completou a venda da sua participação de 41,06% no capital social e créditos da Nanium, uma empresa de nível mundial no sector de semicondutores. Não aponta valores, mas antecipa um impacto neutro a positivo nos rácios de capital.

“No seguimento do comunicado de 2 de fevereiro de 2017, o Novo Banco informa que concretizou a venda da sua participação de 41,06% no capital social e créditos da Nanium — uma empresa de nível mundial no sector de semicondutores, nomeadamente no fornecimento de soluções de packaging de wafer-level fan-out (WLFO) – à sociedade Amkor Technology.

O banco liderado por António Ramalho acrescenta, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que “esta transacção terá um impacto neutro a positivo no rácio de capital Common Equity Tier I do Novo Banco”.

Esta transação representa mais um importante passo no processo de desinvestimento de ativos não estratégicos do Novo Banco, prosseguindo este a sua estratégia de foco no negócio bancário doméstico”, nota, isto depois de ter anunciado esta quarta feira que vendeu 75% do capital do Novo Banco Ásia, operação que vai render 145,8 milhões de euros. O remanescente vai ser alienado ao longo dos próximos cinco anos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Novo Banco continua a vender ativos. Agora foi a Nanium

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião