Lucro da Águas de Portugal cai mais de 50% em 2016

  • Lusa
  • 29 Maio 2017

Lucro da empresa caiu em 2016 para menos de metade do ano anterior, somando 70,8 milhões de euros. Volume de negócios aumentou 5% para 609,9 milhões.

Em comunicado, a AdP aponta a “alienação do negócio dos resíduos em 2015” e a “necessidade de constituição em 2016 de provisões para riscos de atividade” como “as principais justificações” para a diminuição do resultado líquido no ano passado face a 2015, exercício no qual tinha registado um resultado extraordinário de 166 milhões de euros.

Segundo o relatório e contas da empresa, aprovado esta segunda-feira em assembleia-geral de acionistas, no ano passado a AdP diminuiu o endividamento líquido em cerca de 100 milhões de euros, para 2.044 milhões de euros, e aumentou em 7% o ‘cash-flow’ operacional, para 306,3 milhões de euros.

Em 2016 a Águas de Portugal registou ainda uma diminuição do défice tarifário para 36,2 milhões de euros, menos de metade do de 2015, e uma redução em 13% da dívida dos clientes, tendo o EBITDA (resultado antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) ajustado somado 306,3 milhões de euros.

“Em 2016 foram dados passos decisivos para desenvolver e estabilizar a organização regional e empresarial do grupo AdP e em simultâneo foram alcançados resultados significativos. A redução do endividamento financeiro em 100 milhões de euros e o aumento do ‘cash-flow’ operacional consolidam a nossa sustentabilidade económica e financeira”, destaca o presidente do Conselho de Administração, João Nuno Mendes, citado no comunicado.

A AdP é uma sociedade anónima de capitais públicos gestora de participações sociais que, através das suas subsidiárias, tem como principal atividade a gestão do ciclo urbano da água, operando vários sistemas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais.

Constituído em 1993, o grupo AdP presta serviços aos municípios, que são simultaneamente acionistas das empresas gestoras dos sistemas multimunicipais (sistemas em ‘alta’), e servindo diretamente as populações através de sistemas municipais (sistemas em ‘baixa’) de abastecimento de água e de saneamento.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lucro da Águas de Portugal cai mais de 50% em 2016

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião