Luz Saúde compra British Hospital

A dona do Hospital da Luz, controlada pela Fidelidade, da Fosun, adquiriu a totalidade do British Hospital esta quarta-feira.

A empresa liderada por Isabel Vaz, que é detida pela Fidelidade, da Fosun, adquiriu as sociedades do British Hospital que detêm o British Hospital Torres de Lisboa, o British Hospital Saldanha Microcular e o British Hospital Management Care (integrado no campus das Torres de Lisboa), segundo o comunicado enviado pela Luz Saúde à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

A aquisição está dependente da autorização da Autoridade da Concorrência. No comunicado, a Luz Saúde não refere qual é o valor da transação.

Segundo a empresa que detém o Hospital da Luz, o British Hospital das Torres de Lisboa “é a unidade de saúde de maior dimensão do Grupo British Hospital, dispondo de 46 camas, 3 salas de bloco e 34 gabinetes de consulta”, tendo realizado cerca de 75.000 consultas e 4.400 cirurgias em 2016.

A Luz Saúde — empresa detida pela Fidelidade desde 2014, após a queda do Grupo Espírito Santo — alarga assim o seu leque de investimentos na área, depois de ter lucrado menos e da dívida ter crescido no ano passado. A empresa lucrou menos num ano em que aumentou a despesa com os investimentos na expansão da rede. Em 2016, entre compras e obras de ampliação, gastou 54 milhões, o que fez crescer o montante em dívida para mais de 200 milhões de euros.

No ano passado, a Luz Saúde adquiriu o Hospital da Luz Guimarães, o Hospital do Mar Gaia e começou a construção de uma nova unidade em Vila Real. Já em março deste ano, a empresa da Fosun comprou 81,14% do capital da empresa que explora a “Clínica de Santa Catarina” e “Policlínica do Caniço” duas unidades privadas de saúde no Funchal.

(Atualizado às 18h05)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Luz Saúde compra British Hospital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião