easyJet vai reduzir preços com novos aviões da Airbus

A lowcost britânica encomendou 130 novos aviões à Airbus, mais eficientes, que vão permitir reduzir os custos com combustível e as emissões de carbono.

A easyJet recebeu, esta quarta-feira, o primeiro dos cem A320 Neo que encomendou à Airbus. Com estes aviões mais eficientes, a companhia aérea lowcost vai conseguir poupanças de 15% no combustível e um corte de 7% dos custos por assento, além de reduzir as emissões de carbono. Estas poupanças vão permitir reduzir os preços dos bilhetes nos próximos anos, antecipa a companhia aérea.

A easyJet encomendou 130 novos aviões à Airbus.D.R.

“Abre-se um novo capítulo na história da easyJet”, anunciou Carolyn McCall, presidente executiva da lowcost, na cerimónia de entrega do primeiro A320 Neo, que decorreu na sede da Airbus, em Toulouse, França.

O “novo capítulo” deve-se, primeiro, à redução de custos. “Uma redução de 15% dos custos em combustível é relevante com o petróleo a qualquer preço. Quando começámos a negociar a compra destes aviões, o combustível está mais caro do que está hoje, mas continua a representar o maior custo da companhia aérea”, explicou Carolyn McCall. Assim, a companhia aérea “vai conseguir oferecer bilhetes ainda mais baratos”, adiantou.

Por outro lado, a easyJet encomendou também A321 Neo, que aumentam a capacidade de passageiros para 235 lugares por avião, o que permite à companhia crescer contornando os limites de capacidade que encontra na maioria dos aeroportos onde opera. “A importância destes aviões é que nos ajudam a crescer e a fazer face aos constrangimentos de slots”, adiantou a CEO da companhia aérea, que conta, atualmente, com cerca de 77 milhões de clientes.

O primeiro A320 Neo começa a operar já no dia 16 de junho, voando de Londres para Amesterdão, Madrid e Edimburgo. A companhia aérea encomendou 100 destes aviões e os restantes vão ser entregues ao longo dos próximos cinco anos. Nesse período, a lowcost irá receber, ainda, outros 30 A321 Neo. O primeiro destes deverá ser entregue em julho de 2018.

Considerando os preços de tabela destes aviões (o A320 Neo custa 108 milhões de dólares e o A321 Neo custa 127 milhões de dólares), o investimento total seria de 14,6 mil milhões de dólares. Contudo, a easyJet não revela o investimento, dizendo apenas que negociou um preço abaixo do preço de tabela.

Airbus já entregou 117 Neo

Com a entrega do A320 Neo à easyJet, a construtora aeronáutica europeia já entregou 117 aviões desta família, a 25 operadoras. Atualmente, a Airbus conta mais de 5.500 encomendas destes aviões e espera aumentar a produção para 60 aviões por mês em 2019, revelam os responsáveis da empresa, numa visita à fábrica de aviões.

Considerando o tempo de produção destes aviões, a lista de espera para recebê-los “é longa”, dizem os responsáveis. Desde que é fabricada a primeira peça dos aviões da família Neo, até à entrega do avião à companhia aérea, o processo de produção dura sete meses. A partir do momento em que as peças chegam à fábrica da Airbus, em Toulouse, o processo de montagem dura sete semanas.

A jornalista viajou a Toulouse a convite da easyJet.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

easyJet vai reduzir preços com novos aviões da Airbus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião