Plano Juncker já promete gerar 3,9 mil milhões de investimento em Portugal

  • Margarida Peixoto
  • 20 Junho 2017

A atualização do investimento gerado ao abrigo do Plano Juncker aponta para 3,9 mil milhões de euros e mais de 1.300 empresas e mid-caps beneficiadas.

Jyrki Katainen, vice-presidente da Comissão com as pastas do Emprego, Crescimento, Investimento e Competitividade, está de visita a Portugal.

3,9 mil milhões de euros: é este o valor do investimento que deverá ser gerado em Portugal, ao abrigo do Plano Juncker. Os dados, que reportam à informação recolhida até junho, foram revelados esta terça-feira pela Comissão Europeia. Jyrki Katainen, vice-presidente da Comissão com as pastas do emprego, crescimento, investimento e competitividade, está de visita a Portugal para conhecer algumas das empresas beneficiadas pelos fundos.

O Plano de Investimentos para a Europa, conhecido por Plano Juncker, visa incentivar o investimento na economia europeia para promover o emprego, o crescimento económico e reforçar a capacidade de produção e de infraestruturas. Os apoios são concedidos pelo Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos, criado pela Comissão Europeia, e pelo Banco Europeu para o Investimento.

A atualização mais recente dos números para Portugal mostra que o financiamento do Banco Europeu para o Investimento já aprovado atinge quase 700 milhões de euros e destina-se a 15 projetos de infraestruturas e inovação. Este investimento deverá gerar mais de 2,4 mil milhões de euros de investimento total.

Já no que toca ao financiamento para pequenas e médias empresas, o financiamento ao abrigo do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE) atinge quase 500 milhões de euros e será disponibilizado através de sete acordos, já aprovados, com bancos intermediários ou fundos. Espera-se que estes acordos gerem um investimento superior a 1,4 mil milhões de euros e beneficiem mais de 1.300 PME e empresas mid-cap.

Reabilitação urbana, educação e energia: três exemplos

A Comissão Europeia destaca alguns dos projetos já aprovados ao abrigo do Plano Juncker. Há financiamento para recuperar a capital portuguesa, para investir em energias renováveis ou para construir um novo campus universitário.

1 – Centrais de biomassa

  • Financiamento: 50 milhões de euros
  • Investimento: 96 milhões de euros

O empréstimo financiará a construção de duas centrais de biomassa, no Fundão e em Viseu. O projeto contribui para as metas de energias renováveis e deverá promover o emprego e desenvolvimento locais. Deverá ainda ajudar à prevenção de incêndios, uma vez que passará a representar a procura de resíduos florestais.

2 – Reabilitação urbana em Lisboa

  • Financiamento do FEIE: 100 milhões de euros
  • Investimento total: 523 milhões de euros

Este é um empréstimo que visa cofinanciar o plano de investimentos multianual (2016-2020) para recuperação urbana em Lisboa. Vai contribuir para transformar antigas instalações militares no maior hub para start-ups e empreendedores da Europa, para modernizar a habitação social, melhorar os sistemas de drenagem da cidade, preparando a cidade para condições atmosféricas adversas.

3 – Novo campus universitário

  • Financiamento (BEI): 16 mil euros
  • Investimento: 47 mil euros

O empréstimo visa a construção de um novo campus da Nova School of Business & Economics, com tecnologias de informação e de eficiência energética ao nível mais avançado.

Comentários ({{ total }})

Plano Juncker já promete gerar 3,9 mil milhões de investimento em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião