Lula, condenado à prisão, anuncia candidatura à presidência

  • Juliana Nogueira Santos
  • 13 Julho 2017

Na primeira vez que fala depois da condenação, Lula da Silva desvalorizou a investigação por falta de provas e garantiu que não vai sair "do jogo". O próximo desafio será as presidenciais de 2018.

Um dia depois de ter sido condenado a nove anos e meio de prisão, Luiz Inácio Lula da Silva falou aos jornalistas e aos seus apoiantes, desvalorizando a condenação e anunciando a candidatura às presidenciais de 2018. “Se alguém pensa que com essa sentença me tiraram do jogo, pode saber que eu estou no jogo”, garantiu o antigo presidente do Brasil, num discurso transmitido ao vivo na página oficial de Facebook do seu partido.

Lula da Silva foi acusado por decisão de Sérgio Moro, o juiz responsável pela Operação Lava Jato, e foi a este que dedicou muito do seu discurso. “Era visível que o que menos importava nos depoimentos era o que você falava, eles já estavam com o processo pronto”, afirmou Lula. O político defendeu-se das acusações, afirmando que a justiça não tem provas que o liguem ao dinheiro utilizado para ampliar um apartamento triplex em Guarujá: “A única prova que existe nesse processo é a prova da minha inocência”

Frente a uma multidão eufórica, Lula assumiu uma posição desafiadora, tendo começado o seu discurso por justificar que não tinha falado antes porque “precisava de ver o Corinthians derrotar o Palmeiras”. A desvalorização da pena continuou, com Lula a afirmar que esta acusação é apenas “uma tentativa de me tirar do jogo político”, mas que “quem acha que é o fim do Lula vai quebrar a cara.”

Por fim, e deitando por terra as notícias que já afirmavam que o Partido dos Trabalhistas não ia ter um representante a lutar pela posição de Presidente em 2018, o antigo presidente veio confirmar o contrário: “Agora quero dizer ao meu partido, que até agora não tinha reivindicado mas vou reivindicar, o direito de me colocar como postulante à Presidência da República em 2018″. Até ser julgado em segunda instância, o político ainda está apto para candidatura.

MP quer pena maior

O antigo presidente, agora com 71 anos, é assim condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Esta é a primeira condenação de Lula da Silva. O antigo presidente responde ainda por outras quatro ações no âmbito da Lava Jato, uma delas conduzida também por Sérgio Moro e as outras três na Justiça Federal de Brasília.

Ainda assim, o Ministério Público irá recorrer da sentença para pedir uma pena maior, não tendo ainda avançado quantos anos vai propor. Os procuradores consideram “respeitável” a decisão do juiz responsável pela Operação Lava Jato, sublinhando que a mesma “ostenta robusta fundamentação”, mas discordam de “alguns pontos”.

Lula da Silva é acusado de ter omitido que detinha um apartamento em Guarujá, no estado de São Paulo, que aparece registado em nome de empresários da construtora OAS. Esta empresa, por sua vez, terá pago à volta de um milhão de euros em subornos a Lula da Silva. No final do discurso do antigo presidente, os jornalistas não tiveram oportunidade de colocar quaisquer perguntas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lula, condenado à prisão, anuncia candidatura à presidência

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião