Universidade Nova é a única portuguesa no top 50 das sub-50

  • ECO
  • 16 Julho 2017

A consultora britânica Quacquarelli Symonds destaca a Universidade Nova de Lisboa pela reputação junto dos empregadores e pela internacionalização dos docentes.

A Universidade Nova de Lisboa melhorou a sua posição no ranking “QS Top 50 under 50“, elaborado pela consultora britânica Quacquarelli Symonds (QS), que elege as melhores universidades com menos de 50 anos. A única universidade portuguesa no ranking para o 41.º lugar e destaca-se pela internacionalização de docentes e pelo número de professores por aluno.

“Estes resultados confirmam, pelo quinto ano consecutivo, a qualidade crescentemente reconhecida à Nova, apesar da sua juventude, e nas suas várias dimensões, tanto pela comunidade académica como pelo mercado de trabalho, e tanto em Portugal como no estrangeiro”, afirma o reitor da Universidade Nova, António Rendas, em comunicado.

A reputação junto de empregadores e reputação académica foram os critérios que registaram maiores subidas no ranking deste ano. A nível nacional, a UNL destaca-se no rácio de professor por aluno, ficando 76% acima da média das universidades portuguesas. Também é líder na internacionalização do corpo docente, o que posiciona a universidade como atrativa para docentes e investigadores estrangeiros.

O QS Top 50 under 50 é “considerado um dos mais importantes rankings para universidades mundiais com menos de 50 anos”, revela a universidade. Contudo, a nível global e sem limite de idades, a consultora britânica Quacquarelli Symonds pôs a Universidade do Porto à frente da Universidade Nova de Lisboa, em 301.º e 361.º lugares, respetivamente.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Universidade Nova é a única portuguesa no top 50 das sub-50

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião