Viver em Lisboa custa mais 232 euros por mês do que no resto do país

  • Margarida Peixoto
  • 17 Julho 2017

As despesas das famílias que vivem na área metropolitana de Lisboa são, em média, 13,7% mais elevadas do que na média de Portugal. Maior parte dos gastos vai para habitação, alimentação e transportes.

As famílias que vivem na área metropolitana de Lisboa gastam, em média, mais 232 euros por mês — o equivalente a mais 13,7% — do que o registado no resto do país. E enquanto as despesas médias dos agregados familiares em Portugal baixaram quando comparadas com os gastos de há cinco anos, em Lisboa subiram. Os dados foram publicados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os dados do INE, referentes ao período de 2015/2016 confirmam a leitura provisória divulgada em dezembro de 2016, apesar de trazerem ajustamentos. Viver em Lisboa sai mais caro: as famílias gastaram 23.148 euros por ano, mais 764 euros do que a média de Portugal. Face ao período de 2010/2011, registou-se um aumento de 3,4% nas despesas das famílias na área metropolitana de Lisboa, enquanto a média do país caiu ligeiramente (0,1%, o equivalente a menos 28 euros por ano).

Olhando para o resto das regiões, verifica-se que é nos Açores que as despesas anuais são mais baixas. Nesta região as despesas baixaram 4,3% (a maior queda do país) quando comparadas com os gastos de há cinco anos.

Já no Alentejo as despesas dos agregados familiares subiram 6,1%, para 17.798 euros por ano. Contudo, o Alentejo mantém-se como a região de Portugal continental onde os gastos são mais baixos.

Gastos subiram na área metropolitana de Lisboa

Fonte: INE

Olhando para a estrutura dos gastos das famílias em Portugal, verifica-se que 60% da despesa vai direta para habitação, alimentação e transportes. A habitação justifica 31,9% dos gastos, os produtos alimentares e bebidas não alcoólicas pesam 14,3% na despesa e os transportes mais 14,1%.

Em Lisboa esta proporção mantém-se, mas na região da capital os gastos com a habitação têm um peso mais elevado do que na média do país: justificam 32,7% do total da despesa das famílias. Só na Madeira e nos Açores é que este peso é maior (34% e 37,2%, respetivamente).

Famílias com filhos gastam mais 44%

Os dados do INE confirmam ainda que as famílias com filhos gastam mais 44% do que as que não têm crianças. A diferença por ano são, em média, 7.760 euros — o equivalente a mais 647 euros, todos os meses.

As famílias com crianças a cargo têm uma estrutura de despesa idêntica às que não têm crianças, mas gastam mais em quase todos os tipos de despesas. A maior diferença, abissal, é com o ensino, onde gastam mais de oito vezes mais por ano. Com vestuário e calçado as famílias com crianças gastam mais do dobro do que as que não têm filhos. Mas com a saúde as famílias com filhos gastam até ligeiramente menos do que as que não têm crianças a cargo: a diferença é de 2%.

Onde é que as famílias gastam mais?

Fonte: INE

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Viver em Lisboa custa mais 232 euros por mês do que no resto do país

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião