Passos defende e confirma apoio a André Ventura

  • ECO
  • 18 Julho 2017

O presidente do PSD disse que que o seu partido vai manter o apoio à candidatura de André Ventura, considerando que este clarificou a sua posição face à polémica em torno da comunidade cigana.

O presidente do PSD, Pedro passos Coelho, confirmou que o seu partido vai manter o apoio à candidatura de André Ventura à Câmara de Loures. Este apoio surge após as declarações polémicas proferidas por André Ventura sobre a comunidade cigana.

“A clarificação que o dr. André Ventura fez de uma entrevista que deu clarifica muito bem a posição, quer dele quer do PSD, quanto à matéria. Eu estou tranquilo quanto àquilo que é a nossa posição, uma posição não racista, não xenófoba: nunca foi, não é e, atrevo-me a dizer, nunca será”, afirmou o líder social-democrata, em declarações aos jornalistas à chegada ao jantar parlamentar do PSD, esta terça-feira, na Assembleia da República, e citado pelo Diário de Notícias.

“Feita esta clarificação, estamos todos tranquilos quanto à campanha que pode ser feita pelo nosso candidato”, acrescentou o líder social-democrata.

No centro da polémica estão as declarações de André Ventura que, em entrevista ao jornal i, disse existirem pessoas que “vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado” e que acham “que estão acima das regras do Estado de direito”, uma situação que o candidato à Câmara de Loures disse acontecer particularmente com a comunidade cigana.

O voto de confiança de Passos Coelho acontece depois de o CDS ter retirado, nesta terça-feira, o apoio a André Ventura, e de em reação a distrital de Lisboa do PSD ter decidido continuar a apoiar essa candidatura.

Relativamente à posição do CDS, Passos Coelho disse respeitá-la, escusando-se a comentar, tais como as críticas feitas por Teresa Leal Coelho, vice-presidente do seu partido.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Passos defende e confirma apoio a André Ventura

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião