Nova ajuda à Grécia? O FMI autorizou

  • Lusa e ECO
  • 21 Julho 2017

O FMI autorizou um novo empréstimo de 1,6 mil milhões de euros à Grécia, com a condição de todos os credores concederem um alívio de dívida.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) autorizou na quinta-feira o relançamento do plano de ajuda à Grécia, indicou a organização, em comunicado. Esta luz verde materializa-se através de um acordo de princípio de 1,6 mil milhões de euros, atribuídos à Grécia a título de crédito “de precaução”.

“Como dissemos muitas vezes, mesmo com a implementação completa do programa, a Grécia não vai ser capaz de restaurar a sustentabilidade da dívida e precisa de futuro alívio de dívida dos seus parceiros europeus,” constatou Christine Lagarde no comunicado. “Tem de ser acordada uma estratégia para a dívida ancorada em suposições mais realísticas. Espero que seja acordado entre a Grécia e os seus parceiros europeus um plano que restaure a sustentabilidade da dívida.”

Assim, o FMI não vai desembolsar o dinheiro imediatamente, impondo-se a contingência dos países da Zona Euro concederem à Grécia uma alívio da dívida. Os bancos gregos terão também de passar por uma avaliação de qualidade dos seus ativos e por testes de stress para assegurar que estão devidamente capitalizados antes de o plano ser concluído, estabeleceu Lagarde.

Os responsáveis do FMI estimam que, mesmo que as reformas prometidas sejam cumpridas, a dívida soberana vá atingir o patamar dos 150% do PIB do país até 2030, tornando-se “explosiva”. A solução estará na adoção de medidas como a extensão dos períodos de graça, o aumento da maturidade da dívida e o adiamento de pagamentos de juros. Para além disto, o FMI reservou 10 mil milhões de euros para um potencial apoio à banca, um valor que, segundo a instituição, “pode não ser suficiente”.

A decisão de relançar o plano de ajuda reflete o compromisso firmado em junho entre todos os ministros das Finanças da Zona Euro, que se afirmavam relutantes com a possibilidade de serem mais permissivos em relação à situação da Grécia. Em resposta a esta, Klaus Regling, diretor do Mecanismo Europeu de Estabilidade, afirmou que a decisão “assegura um alinhamento total do pacote de medidas para a Grécia”.

O empréstimo do FMI corresponde a 55% da quota que a Grécia possui neste organismo internacional.

(Notícia atualizada às 12h10 com mais informações e as declarações de Christine Lagarde)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nova ajuda à Grécia? O FMI autorizou

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião