Comissão Europeia recomenda saída da Grécia do PDE

  • Marta Santos Silva
  • 12 Julho 2017

A Grécia recuperou de um défice de 15% em 2009 para um excedente de 0,7% em 2016. A recomendação da Comissão é "um momento muito simbólico para a Grécia", diz Moscovici.

A Comissão Europeia recomenda que a Grécia saia do Procedimento por Défice Excessivo (PDE), o que deixaria apenas três países nessa situação (a França, a Espanha e o Reino Unido). “É um momento muito simbólico para a Grécia”, afirma o comissário europeu dos Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici, citado num comunicado da Comissão Europeia.

A Grécia tem feito um caminho de recuperação marcado por uma redução do défice desde 15,1% em 2009 para um excedente de 0,7% em 2016, muito inferior ao limite máximo de um défice de 3% estabelecido pela União Europeia. A recomendação da Comissão Europeia terá de ter a concordância do Conselho Europeu para que a Grécia possa sair do PDE e ficar assim sob uma vigilância menos apertada de Bruxelas.

“A nossa recomendação de encerrar o Procedimento por Défice Excessivo para a Grécia é mais um sinal positivo de estabilidade financeira e recuperação económica do país“, disse Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia. No entanto, o comissário assinalou que a Grécia precisa de “continuar a fortalecer a confiança na sua economia”, para poder regressar aos mercados financeiros.

As previsões económicas de primavera da Comissão Europeia para 2017 mostram que as autoridades anteveem uma performance orçamental sustentável na Grécia, com medidas que deverão continuar a ter impactos positivos nas finanças gregas para lá de 2018, “à medida que os efeitos se acumulam”. Assim sendo, “prevê-se que o défice se mantenha abaixo dos 3% previstos no Tratado [sobre o Funcionamento da União Europeia] durante o horizonte de previsão da Comissão”, lê-se no comunicado enviado pela Comissão.

“É um momento muito simbólico para a récia. Após tantos anos de sacrifícios por parte do povo grego, o país está finalmente a colher os benefícios”, afirmou Pierre Moscovici.

Bruxelas transferiu uma nova tranche de apoio, no valor de 7,7 mil milhões de euros, para a Grécia esta segunda-feira, após o país ter passado com sucesso na sua segunda revisão.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Comissão Europeia recomenda saída da Grécia do PDE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião