Grécia está a semanas de regressar ao mercado de dívida

Investidores e banqueiros têm revelado forte apetite por novas obrigações gregas, o que sugere que o regresso de Atenas aos mercados de dívida pode estar para breve.

A Grécia pode estar de regresso aos mercados de dívida já nas próximas semanas, segundo adiantaram à agência Reuters vários investidores e banqueiros próximos das negociações. Este será um passo determinante para Atenas normalizar o financiamento da República junto de investidores privados, isto depois de a crise ter deixado o país exclusivamente dependente dos empréstimos da troika.

O maior credor da Grécia, o Mecanismo Europeu de Estabilidade, disse esta segunda-feira que a Grécia deveria desenvolver uma estratégia para terminar com este exílio do mercado de dívida que dura já há três anos. E isto como forma de preparar a saída do atual programa de resgate que termina em meados de 2018.

Nesse sentido, Euclid Tsakalotos, o ministro das Finanças da Grécia, já se encontrou com investidores em Londres no mês passado. Um dos investidores, o fundo BlueBay Asset Management, confidenciou à Reuters que o elevado interesse que tem registado do mercado sugere a emissão de dívida da Grécia está iminente.

“Se nos últimos meses recebíamos um contacto (de banqueiros) a cada duas semanas, nos últimos dez dias recebo chamadas diariamente a perguntar sobre este assunto em particular”, afirmou Mark Dowding, da BlueBay, à agência de notícias. “Percebe-se que estamos na iminência disso. Podemos esperar uma operação nas próximas duas semanas antes de os investidores partirem para as férias de verão“, declarou o responsável.

Dowding revelou que a BlueBay detém dívida grega e que voltaria a comprar novas obrigações caso o preço seja atrativo.

Entre os fundos com os quais Tsakalotos se encontrou no último mês está o maior fundo obrigacionista do mundo, a Pimco, e ainda a gestora de ativos norte-americana Standish, revelaram fontes próximas do assunto à Reuters.

Contactado pela agência, o ministro das Finanças da Grécia não esteve disponível para comentar no imediato. Mas uma fonte do Governo de Atenas tinha revelado na semana passada que ainda não havia decisões quanto ao timing de regresso ao mercado.

A taxa de juro das obrigações gregas a dez anos segue perto dos 5,4%, o nível mais baixo dos últimos dois meses.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Grécia está a semanas de regressar ao mercado de dívida

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião