Pedrógão Grande: Há 25 milhões de euros para ajudar empresas e autarquias

  • ECO
  • 21 Julho 2017

O Governo vai canalizar 25 milhões de euros do Programa Operacional Centro para ajudar empresas e autarquias a reconstruir o que foi destruído pelo fogo de Pedrógão Grande.

São 25 milhões de euros. Esta é a verba proveniente do Programa Operacional Centro, do Portugal 2020, que será canalizada para Pedrógão Grande e outras regiões afetadas pelo grande incêndio que matou 64 pessoas em meados de junho. O objetivo é ajudar empresas e autarquias a voltar às condições que tinham antes do fogo. A informação foi avançada por Nelson Sousa, secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, à rádio TSF.

“Ao todo serão 25 milhões de euros que se destinam a apoiar projetos com uma taxa alta de incentivos, com 85% do apoio a fundo perdido, do qual 25% pode ser adiantado com a aprovação”, explicou Nelson Sousa. O objetivo deste apoio é, sobretudo, ajudar à reconstrução de instalações de empresas e de infraestruturas públicas municipais, bem como à recuperação de equipamentos que tenham sido danificados pelas chamas.

Segundo a rádio, as estimativas do Governo apontam para que os primeiros apoios, dados ao abrigo deste tipo de fundos comunitários, comecem a chegar dentro de duas a três semanas, numa altura em que já passou mais de um mês desde o fogo.

As entidades afetadas podem candidatar-se para “renovar ou reparar os equipamentos e instalações para repor as condições que tinham antes dos incêndios”, acrescentou o secretário de Estado, citado pela TSF. “Podem candidatar-se as empresas de todos os setores, com exclusão da Agricultura”, que terá um apoio específico, indicou Nelson Sousa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pedrógão Grande: Há 25 milhões de euros para ajudar empresas e autarquias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião