Direto Não há mais rescisões no BPI. “Está tudo feito”

Pablo Forero, presidente executivo do BPI, garante que não estão planeadas mais saídas ou fecho de balcões. E diz que a venda da participação em Angola "não é uma prioridade".

O BPI apresentou, esta tarde, os resultados semestrais. Depois de ter reportado prejuízos de 122,3 milhões de euros no primeiro trimestre, resultado que refletiu o impacto da venda de 2% do Banco de Fomento Angola, o banco presidido por Pablo Forero reporta agora prejuízos de 101,7 milhões no primeiro semestre deste ano. Sem contabilizar os impactos negativos da venda de 2% do Banco de Fomento Angola (BFA), em janeiro, e do programa de rescisões voluntárias e reformas antecipadas, no segundo trimestre, o BPI teria reportado lucros de 188 milhões no primeiro semestre.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Não há mais rescisões no BPI. “Está tudo feito”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião