Chineses da HNA asseguram 2,5% da TAP

  • ECO
  • 26 Julho 2017

Grupo chinês já concretizou a entrada na Atlantic Gateway através de um investimento de 84 mil euros. HNA passa a deter 2,5% da TAP numa altura em que atividade do grupo é escrutinada lá fora.

O grupo chinês HNA já concretizou a entrada no capital da Atlantic Gateway, num investimento de 84 mil euros através da Hainan Airlines e que permite ao investidor asiático assegurar indiretamente uma posição de 2,52% do capital da transportadora aérea portuguesa TAP.

De acordo com o jornal Público (acesso pago), o grupo chinês é agora dono de 5,6% da Atlantic Gateway, o consórcio privado que detém 45% da TAP. Dentro deste consórcio, o empresário Humberto Pedrosa, por via da sua holding pessoal, a HPGB (através da qual detém a Barraqueiro) manteve os 51% que já detinha, enquanto David Neeleman viu a sua posição reduzida de 49% para 43,4%.

Com este negócio, a TAP passa a ser detida em 2,52% pelo grupo chinês, enquanto Pedrosa e Neelman assumem posições de 22,95% e 19,53%, respetivamente. O restante capital está distribuído pelo Estado (50%) e os trabalhadores detêm uma fatia de 5% na sequência da oferta pública de venda.

O Público lembra que peso no capital social não corresponde a idêntico peso de direitos económicos (como em caso de distribuição de dividendos), que são detidos maioritariamente pelos grandes investidores privados, incluindo agora a HNA.

A entrada da HNA na Atlantic Gateway surge num momento em que as autoridades e bancos apertam o escrutínio em relação à atividade do grupo que nos últimos anos tem realizado investimentos avultados em todo o mundo, com compras que vão desde os hotéis Hilton até ao banco alemão Deutsche Bank.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Chineses da HNA asseguram 2,5% da TAP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião