Receitas da PT Portugal crescem 0,1%

A Altice divulgou esta quinta-feira, depois dos mercados norte-americanos fecharem, os seus resultados do segundo trimestre. A empresa diz que as receitas em Portugal subiram 0,1%.

As receitas da PT Portugal aumentaram 0,1% no segundo trimestre, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o comunicado da Altice. Ao todo, a empresa portuguesa detida pelos franceses teve 575,8 milhões de euros em receitas. No entanto, a dona da Meo viu o seu EBITDA ajustado cair 8,3% para os 255 milhões de euros. E a margem do negócio em Portugal caiu 4,1%.

Segundo o comunicado, a Meo está a caminho de ser tornar a “operadora de fibra líder em Portugal ao alcançar 3,5 milhões de casas”. A empresa diz que em comparação com o primeiro trimestre deste ano aumentaram em 248 mil o número de cliente com fibra. O objetivo da Meo é que essa cobertura seja nacional daqui a três anos.

No seu comentário aos resultados, o presidente executivo da Altice, Michel Combes, afirma que a Meo acelerou a implantação de fibra a nível nacional. O CEO destaca ainda a diversificação dos seus investimentos em Portugal com a oferta de 440 milhões de euros para adquirir a Media Capital — empresa que detém a TVI e a Rádio Comercial — à espanhola Prisa. Combes diz que este passo é semelhante ao que fizeram, “de forma bem-sucedida”, em França.

Entre os destaques da empresa sobre o segundo trimestre está exatamente esse negócio com a Prisa, mas também um acordo com a Netflix em que os conteúdos do serviço de streaming passam a estar disponíveis nos aparelhos da Altice em França e em Portugal, através da Meo.

No ano passado, o negócio da Altice em Portugal tinha atingido os 575,1 milhões de euros em receitas no segundo trimestre. O EBITDA tinha sido de 278,6 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Receitas da PT Portugal crescem 0,1%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião