Airbnb vai hospedar em templos e estações ferroviárias… no Japão

  • Bloomberg
  • 30 Julho 2017

O Airbnb pretende oferecer experiências únicas no Japão, dando aos clientes a oportunidade de se hospedarem em templos, estações ferroviárias e outros lugares fora do comum.

Templo em Asakusa, região de Tóquio, Japão.Pixabay

A startup de partilha de casas com sede em São Francisco Airbnb vai lançar uma nova funcionalidade que permite alugar sítios como templos ou estações de caminhos de ferro para dormir. A iniciativa é uma parceria com a Blue Lab, uma startup tecnológica financeira financiada pela Mizuho Financial Group, afirmaram as empresas nesta terça-feira em comunicado.

O Japão é o mercado do Airbnb que mais rapidamente cresce e hoje tem mais de 53.000 anúncios. Em 2016, mais de 24 milhões de turistas visitaram o país, que bateu o recorde em quatro anos consecutivos, segundo a Organização Nacional de Turismo. Após anos de obstáculos regulatórios, o Governo japonês aprovou, este ano, uma lei que define as normas para o compartilhamento de residências. A lei fomenta iniciativas para ampliar o número e a variedade de alojamentos disponíveis para os visitantes.

“É uma excelente maneira de reunir diferentes empresas e ideias para oferecer serviços melhores aos clientes, para que eles desfrutem e vivenciem o verdadeiro Japão”, disse Daisuke Yamada, presidente da Blue Lab, numa entrevista coletiva em Tóquio. “Com as nossas conexões, os conhecimentos financeiros e a plataforma internacional do Airbnb, esperamos fomentar a excelência do atendimento japonês.”

O Airbnb e a Blue Lab pretendem introduzir mais adicionais semelhantes aos dos hotéis, como a limpeza dos quarto e serviços personalizados para visitantes idosos. Outros turistas talvez queiram participar de eventos locais, como orações nos templos ou festivais, disseram. Globalmente, o Airbnb procura novas formas de oferecer serviços parecidos com os hoteleiros a clientes que pagam mais.

Além disso, o Mizuho Bank afirmou que ajudaria proprietários e empresas, fornecendo financiamento e outros serviços. A Blue Lab, financiada pela Mizuho e pela empresa de capital de risco WiL, trabalha para oferecer serviços de pagamentos, produtos baseados em blockchain e outros serviços de tecnologia financeira.

Existe também a concorrência local. No mês passado, a Rakuten e a operadora de anúncios imobiliários Lifull anunciaram planos para entrar no setor de partilha de moradias. A HomeAway, parte da Expedia, também oferece opções de hospedagem em residências partilhadas no Japão.

O Airbnb, avaliado em 29 mil milhões de dólares, alojou 3,7 milhões de visitantes no Japão no ano passado. Como Tóquio será a sede da Copa do Mundo de Rugby e dos Jogos Olímpicos, o Governo projeta receber 40 milhões de visitantes até 2020.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Airbnb vai hospedar em templos e estações ferroviárias… no Japão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião