Huubster coloca um travão nas más compras de veículos usados

  • ECO
  • 28 Agosto 2017

A plataforma desenvolvida pela Huubster aposta num serviço de compra de veículos usados com a ajuda de especialistas que avaliam as ofertas disponíveis.

Lisboa vai ter uma nova plataforma para a compra de veículos usados. O lançamento da startup Huubster, que liga especialistas e compradores, está previsto para o próximo dia 4 de setembro. A empresa espera estender o serviço para o Porto dentro de um ano.

A startup pretende juntar especialistas e potenciais compradores de veículos usados. Os clientes poderão receber uma avaliação do veículo feita por um especialista. A revisão é feita em termos do exterior, do interior, parte mecânica e elétrica, e inclui um valor aproximado para possíveis arranjos e uma opinião relativa ao valor do veículo com base nos valores de mercado. Os compradores podem avaliar as opiniões dos especialistas.

A má experiência de compra de automóveis usados levou um grupo de empreendedores a criar a Huubster. Os objetivos da empresa passam por “trazer transparência e confiança” num contexto de mercado marcado por “muitos enganos e compras desinformadas”, pode ler-se em comunicado de imprensa enviado às redações.

Números divulgados pela Huubster apontam para um crescimento do mercado de veículos usados, com um aumento de 11% em 2015 face ao ano anterior, registando-se mais de 100 mil novos pedidos numa base mensal. No mesmo ano foram vendidos 213.645 automóveis, dos quais os automóveis novos representam 18% dos registos. No ano seguinte foram vendidos 500 mil automóveis usados em Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Huubster coloca um travão nas más compras de veículos usados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião