Brisa aposta nos carros partilhados. Chegam a Lisboa em setembro

  • Ana Batalha Oliveira
  • 30 Agosto 2017

A Brisa traz da Alemanha o Drive Now, um serviço de car sharing que irá espalhar carros BMW e Mini pelas ruas de Lisboa. Um investimento de cinco milhões da empresa de infraestruturas portuguesa.

A Brisa une-se à alemã Drive Now para trazer um novo serviço de car sharing à cidade de Lisboa. A partir de 12 de setembro, 211 carros estarão disponíveis para os lisboetas usarem — só precisam de uma aplicação no telemóvel para ter acesso aos veículos. Os preços vão dos 31 aos 34 cêntimos por minuto consoante o modelo do carro escolhido. No mês de estreia, todos os preços descem aos 29 cêntimos para aqueles que se inscrevam até dia 12.

O Drive Now foi apresentado esta quarta-feira em Lisboa. Trata-se de um investimento de cinco milhões que traz à capital uma frota de 211 carros. Onze são elétricos, os BMW I3, e os restantes 200 dividem-se em cem Mini Clubman (de três e de cinco portas) e 100 BMW 116, um Série 1. Os I3 são os mais caros — 34 cêntimos por minuto. Os Série 1 cobram 31 cêntimos ao minuto, enquanto os Mini fixam o preço nos 29 cêntimos.

Pedro Rocha e Melo, vice-presidente da Brisa, e Nico Gabriel, um dos CEO da Drive Now, ao lado dos quatro modelos que estarão disponíveis para o serviço de carsharing em Lisboa.Paula Nunes / ECO

Este serviço permite aos clientes detetarem os veículos mais próximos na aplicação, reservarem-nos e abrirem-nos também através do telemóvel para os conduzirem até ao destino. O serviço permite estacionar numa área de 48 quilómetros quadrados que cobre o centro da cidade, ainda que com algumas exceções. Olivais e Chelas são duas das zonas nas quais não se pode abandonar o veículo. Contudo, o carro pode deslocar-se por qualquer local enquanto o serviço estiver ativo. Inclui seguro, que custa um euro por viagem, combustível e estacionamento.

Aqueles que façam o registo antes do dia de lançamento, 12 de setembro, terão a benesse de 20 minutos gratuitos e um preço mais baixo e uniforme durante o primeiro mês de utilização: qualquer viagem custará 29 cêntimos por minuto. Depois da estreia, a adesão custará 10 euros e serão oferecidos 30 minutos de condução grátis.

Com este projeto, o objetivo é investir na “mobilidade eficiente” pois a Brisa quer fazer “mais do que gerir infraestruturas”, esforço que começou com a Via Verde. Há seis anos que a Drive Now se move pelas cidades europeias. Serve um total de 12 cidades, sendo Lisboa a mais recente aposta e a primeira na Península Ibérica.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brisa aposta nos carros partilhados. Chegam a Lisboa em setembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião