Ataque cibernético na Equifax expõe 143 milhões de clientes

  • ECO
  • 8 Setembro 2017

A invasão nos sistemas da agência de crédito durou cerca de dois meses e meio. Três membros do executivo venderam ações antes da desvalorização em Bolsa.

A agência de crédito Equifax reporta esta sexta-feira um ataque ao seu sistema informático, que expôs informações pessoais de 143 milhões de clientes nos Estados Unidos. A entrada nos sistemas foi detetada e a 29 de julho e durava desde meados de maio, segundo o Financial Times [acesso condicionado].

A empresa refere também que os hackers acederam a nomes, números de Segurança Social, datas de nascimento, moradas e números de cartas de condução. As informações recolhidas no ataque incluem ainda o número do cartão de crédito de cerda de 209 000 clientes nos EUA e “determinados documentos com informações de identificação de outras 182 000.

Num comunicado em vídeo dirigido aos clientes, Rick Smith, presidente e chefe-executivo da Equifax, lamenta “profundamente” o incidente. “Peço desculpa a todos os nossos clientes e parceiros afetados”, confessa.

O anúncio caiu mal nas negociações após o fecho de Wall Street, com as ações da agência a cair cerca de 12%. Dias antes, três executivos sénior da Equifax, incluindo o diretor financeiro John Gamble, venderam ações no valor de cerca de 1,8 milhões de dólares.

Ines Gutzmer, porta-voz da agência de crédito, garante que os três executivos “venderam uma pequena percentagem das suas ações na Equifax“, acrescentando que “não tinham conhecimento de que uma intrusão ocorrera na altura”, cita a Bloomberg.

Este anúncio surge um dia depois de a Equifax ter afirmado que não havia encontrado nenhuma evidência de acesso não autorizado às suas bases de dados, assegura o Financial Times.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ataque cibernético na Equifax expõe 143 milhões de clientes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião