Revista de imprensa internacional

  • ECO
  • 8 Setembro 2017

Furacão Irma continua a causar estragos e aproxima-se da Florida. Terramoto no México pode vir acompanhado de tsunami. Polónia exige indemnizações de guerra à Alemanha.

O furacão Irma continua a ser notícia e aproxima-se da Florida, à medida que o México também se vê a braços com uma catástrofe natural — um terramoto de magnitude 8.4 e um possível tsunami. Agitado, mas não por causas naturais, continua o Parlamento espanhol, tendo aprovado agora a lei da transitoriedade. O mesmo pode acontecer com a relação entre Polónia e Alemanha, agora que o país do leste europeu exige indemnizações de guerra.

The Telegraph

Furacão Irma prepara-se para atingir as Bahamas e Florida

O furacão Irma, já considerado um dos mais fortes da história do Atlântico, tem as Bahamas como próximo alvo na sua rota, à medida que a Florida procura evacuar os seus habitantes. Para já, o número de mortes causadas ascende a 13 pessoas.

(Leia a notícia completa aqui / Conteúdo em Inglês / Acesso livre)

The Guardian

Sismo na zona costeira do México poderá seguir-se de tsunami

O sismo de magnitude 8.4 que se fez sentir ontem de madrugada na zona costeira do México já lançou o alarme para um possível tsunami, estando os habitantes a ser evacuados neste momento. Também os países vizinhos foram alertados para o perigo de uma eventual catástrofe os vir a atingir. Há, por enquanto, três mortos registados.

(Leia a notícia completa aqui / Conteúdo em Inglês / Acesso livre)

El País

Maioria no parlamento espanhol aprova lei da transitoriedade

O Junts pel Sí e a CUP fizeram valer a sua maioria no Parlamento Espanhol e aprovaram a lei da transitoriedade com a qual a região da Catalunha pretende formar uma república independente. Fica assim aprovada aquela que os catalães querem que venha a ser a lei suprema da Catalunha caso o referendo de 1 de outubro dite a independência da região.

(Leia a notícia completa aqui / Conteúdo em Espanhol / Acesso livre)

The Sun Daily

Polónia pronta a exigir indemnizações de guerra à Alemanha

A primeira-ministra polaca Beata Szydlo disse acreditar que o seu país tem o direito de exigir indemnizações de guerra à Alemanha a propósito da Segunda Guerra Mundial, embora a posição política oficial do Governo ainda esteja por definir. Em declarações à rádio polaca RMF FM, Beata Szydlo disse: “A posição do Governo acerca das indemnizações de guerra será oficialmente expressa quando uma decisão política for tomada. Na minha opinião, a Polónia tem o direito a isso e o Estado polaco tem o direito de o pedir”.

(Leia a notícia completa aqui / Conteúdo em Inglês / Acesso livre)

Financial Times

Hackers podem ter acedido a dados de 143 milhões de consumidores norte-americanos

A Equifax, empresa norte-americana de crédito, divulgou os detalhes de um enorme ataque informático do qual foi alvo e que pode ter resultado numa fuga de informação relativa aos dados de 143 milhões de consumidores nos EUA. A empresa diz que o ataque durou cerca de dois meses e meio. Após este anúncio, as ações da empresa já desceram cerca de 13%.

(Leia a notícia completa aqui / Conteúdo em Inglês / Acesso Condicionado)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião