Espanhóis da Gas Natural rejeitam fusão. “No hay nada con EDP”

  • ECO
  • 14 Setembro 2017

Perante as notícias dos últimos dias, o presidente executivo da Gas Natural disse que "não está a ser levada a cabo nenhuma operação" com a EDP.

A Gas Natural quer reforçar a presença europeia e está à procura de um parceiro para criar um gigante ibérico. Uma fusão com a EDP é uma das hipóteses que tem sido avançada nos últimos dias, mas a companhia espanhola vem agora desmentir esse interesse.

A empresa “estuda todas as operações possíveis”, mas, em relação aos rumores em torno da EDP, diz que “não está a ser levada a cabo nenhuma operação com essa empresa“. A garantia é dada por Rafael Villaseca Marco, diretor executivo da Gas Natural, em declarações ao El Confidencial.

O responsável admite apenas que “o futuro da empresa passa pela internacionalização e diversificação”. A aposta, acrescenta, está “focada na distribuição e produção de renováveis no Chile, México e Brasil” — todos estes são mercados onde a EDP tem presença.

Apesar de negar o interesse na EDP, o ECO apurou, esta quinta-feira, que Isidro Fainé, presidente da Gas Natural, esteve em Lisboa, há algumas semanas, para um encontro com António Costa, com o objetivo de convencer o Governo das vantagens de uma fusão entre as duas companhias.

Fainé terá proposto a António Costa que, após a fusão, a sede da EDP Renováveis, atualmente em Madrid, passe para Lisboa, enquanto a sede da nova empresa resultante da fusão passe para Barcelona, com um presidente executivo português no primeiro mandato.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Espanhóis da Gas Natural rejeitam fusão. “No hay nada con EDP”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião