Do melhor CEO ao investidor do ano. As oito categorias dos prémios IRGA

  • ECO
  • 18 Setembro 2017

Entre os critérios de nomeação, contam-se alguns como a reputação, rigor, independência, experiência, disponibilidade para contactar com o mercado ou conhecimento técnico.

Estão prestes a ser atribuídos os Investor Relations & Governace Awards (IRGA). Pelo 30º ano consecutivo, a consultora Deloitte vai distinguir empresas e profissionais por boas práticas de governo, com o objetivo de “promover a transparência e distinguir a excelência”.

Há oito categorias de prémios a atribuir. Ainda não são conhecidos os nomeados para cada categoria que serão revelados esta terça-feira à noite, numa cerimónia que vai acontecer no Convento do Beato, em Lisboa. As categorias são:

  • Melhor CEO em investor relations;
  • Melhor CFO em investor relations;
  • Melhor investor relations officer;
  • Melhor relatório e contas do setor financeiro;
  • Melhor relatório e contas do setor não financeiro;
  • Lifetime achievement;
  • Investidor do ano;
  • E Golden Company, que reconhece as empresas que se destacam pela dimensão, performance, internacionalização e potencial de futuro.

Entre os critérios de nomeação, contam-se alguns como a reputação, rigor, independência, experiência, disponibilidade para contactar com o mercado ou conhecimento técnico.

No ano passado, Francisco Lacerda e André Gorjão Costa, ambos da comissão executiva dos CTT, foram os vencedores das categorias de melhor CEO em investor relations e melhor CFO em investor relations, respetivamente. O BCP recebeu o prémio de melhor relatório e contas do setor financeiro e a EDP levou para casa o prémio de melhor relatório e contas do setor não financeiro.

Este ano, apesar de ser já a 30.ª edição, poderá haver surpresas, diz Manuel Alves Monteiro, presidente do júri dos IRGA. “Independentemente de o nosso mercado não ser muito vasto, o que é certo é que há sempre empresas, muitas, que têm um bom desempenho, que lutam por impor boas práticas na sua forma de atuação e por serem bons exemplos. E há também pessoas que, pela forma como desempenham os seus cargos, são também merecedoras da nossa admiração e do nosso estímulo”, refere ao ECO.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Do melhor CEO ao investidor do ano. As oito categorias dos prémios IRGA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião